shadow

ARABIAN NIGHTS FOR MEN, DE JACQUES BOGART 

Perfumart - resenha do perfume Bogart - Arabian NightsAssim como no caso do perfume Riviera Nights, este aqui também foi lançado em 2010 pela casa Jacques Bogart e faz parte da linha “nights”, que visa engarrafar a sensação das noites de algum ponto específico do globo, transportando seu usuário para um lugar de sedução e sensualidade.

Nesta criação, o intuito foi trazer o calor e a opulência das noites árabes, através de uma composição construída por notas de saída de cardamomo, alcarávia (que é da família do cominho) e petitgrain (que é o óleo essencial extraído das folhas verdes de laranjeira). No coração da fragrância, incenso, madeiras nobres, acorde floral e patchouli; na base, almíscar branco, musgo, cedro e vetiver. Há, ainda, quem diga que existe baunilha ou fava tonka no fundo.

Assim como acontece com Bogart Story Red, Arabian Nights possui um aroma mais pungente, daqueles que assusta logo de cara. No primeiro, o tom é medicinal, enquanto neste aqui, a nuance sintética é mais parecida com algo plastificado. A saída é intensa e incensada e a fragrância não muda muito ao evoluir na pele. A maior parte do tempo gira em torno das notas de coração e, só depois de algumas horas, o almíscar começa a dar o ar da graça. Diferente de Riviera Nights, este aqui não é tão fácil de agradar. Além disso, existem inúmeras comparações entre Arabian Nights e Reflection (perfume de nicho da Amouage). Dizem que Reflection é ainda mais doce, mas que são muito similares. Mas a verdade é que os elitistas de plantão jamais irão admitir tal similaridade, o que é uma bobeira.

E outra observação que eu faço é sobre as críticas que li com relação ao nome da fragrância, porque não tem OUD na composição e, por isso, não tem nada de árabe. Pura burrice! Os perfumes árabes ficaram famosos, no mundo inteiro, por conta de suas notas exóticas de especiarias e, principalmente, incensos de altíssima qualidade, como é o caso do olíbano. O agarwood não é tão antigo na perfumaria e se tornou uma tendência de alguns anos pra cá. Então, na minha opinião, o nome foi muito bem escolhido para a proposta da fragrância.

O frasco mantém a mesma identidade visual da linha e ambas projeção e longevidade são fantásticas. Dentro da liberdade limitada na criação dos perfumes designer, a casa Bogart conseguiu lançar algo bem próximo dos nichos, guardadas as devidas proporções.


The following two tabs change content below.
Publicitário, amante da comunicação, blogueiro, apaixonado por fragrâncias e cosméticos em geral. É colecionador de perfumes, resenhista nacional e internacional, consultor particular de fragrâncias e dono de um grupo no Facebook voltado apenas para os homens. Criador e proprietário do Perfumart, site especializado em perfumaria.

Fique à vontade para deixar o seu comentário!

Translate »