shadow

AZZARO CHROME LIMITED EDITION 2014, DE AZZARO 

Perfumart - resenha do perfume AZZARO CHROME LIMITED EDITION 2014Após as edições de verão lançadas em 2013 (para as linhas Chrome e Pour Homme), em homenagem às origens Mediterrâneas de Loris Azzaro, a casa resolveu lançar duas novas edições limitadas (novamente para as linhas Pour Homme e Chrome), convidando seu usuário a fazer uma viagem. Desta vez, a inspiração veio da América Latina e, neste caso, mais precisamente do Brasil.

Não é à toa que as novas fragrâncias não receberam a nomenclatura “Summer” (verão) em seus nomes. Muito pelo contrário, se você procurar na internet, irá encontrar imagens de frascos com a inscrição “Travel Edition” (edição de viagem) no mesmo local aonde vem inscrito “Limited Edition” (edição limitada). Não vi informação oficial, mas acredito que esse diferencial deva ser para algum mercado específico, assim como ocorreu com os nomes de Azzaro Onyx / Silver Black.

E já que estou falando do frasco, a ilustração sugere uma pequena cidade sob a luz do luar, ainda de madrugada, com cores em tons frios, aguardando os primeiros raios de sol. O ilustrador foi o mesmo que criou para o frasco de Pour Homme Limited Edition 2014, o artista Francês Emeric Trahand, mais conhecido como Takeshi e o frasco manteve o formato padrão da linha Chrome.

A fragrância costuma ser discriminada de forma simplista, como o resultado de acordes principais de pimenta rosa, mandarina e vetiver. Mas vai muito além disso!

No topo, notas de bergamota, toranja, mandarina Argentina, laranja doce, bagas de frutas vermelhas, pimenta rosa Brasileira, gengibre e hedione (composto sintético de acentuado frescor, que pode apresentar nuances florais – similares ao jasmim – ou cítricas). No corpo da fragrância, jasmim, sálvia, chá, acorde aquoso e madeira Vera (de origem Sul-Americana, da família Lignum Vitae – a mesma da madeira de Guáiaco). Por fim, na base, âmbar, almíscar, fava tonka da Venezuela, vetiver do Brasil, notas amadeiradas e erva-mate.

A saída não me agradou nem um pouco. Parece cheiro de madeira molhada e mofada. Somente após cerca de 30 minutos na pele, a fragrância começa a se tornar mais fresca e aromática. Porém, a projeção é vergonhosa, ainda mais se tratando de um perfume Azzaro. Precisei usá-lo 3 vezes seguidas para me acostumar e, ainda assim, achei estranho e simples. Não é o meu tipo de perfume, sem dúvidas. Mas, verdade seja dita, a fixação é muito boa.

Será que irei gostar mais com o tempo e após repetidas (e insistentes) tentativas? Veremos…


The following two tabs change content below.
Publicitário, amante da comunicação, blogueiro, apaixonado por fragrâncias e cosméticos em geral. É colecionador de perfumes, resenhista nacional e internacional, consultor particular de fragrâncias e dono de um grupo no Facebook voltado apenas para os homens. Criador e proprietário do Perfumart, site especializado em perfumaria.

Fique à vontade para deixar o seu comentário!

Translate »