shadow

CH MEN, DE CAROLINA HERRERA (2009)

Perfumart - resenha do perfume CH - CH MenCH Men chegou ao mercado em 2009, para fazer par com a versão feminina, que foi lançada em 2007 e se tornou um sucesso rápido de vendas. Para tal, a identidade visual foi mantida, trazendo um frasco coberto por couro marrom, com as iniciais CH gravadas em baixo relevo e uma fita vermelha, também chamada de gravata, carregando um pingente.

Mas antes de qualquer coisa, há um detalhe importante a ser dito: esta resenha é endereçada à versão original, que já sofreu reformulação, por volta de 2011, além de ter passado por duas remodelações visuais, ganhando novos frascos, agora sem a gravata vermelha com o pingente e com uma nova tampa dourada. Pouco se discute sobre reformulações, mas acredito que a maior causa tenha sido o uso do musgo de carvalho, que passou a ser retirado das composições por determinações da IFRA.

O meu frasco é datado de 2010 e traz a composição original, que contém notas de bergamota, toranja e grama, na saída; Açafrão, jasmim Sambac, noz-moscada, madeiras e violeta, no corpo; Musgo de carvalho, âmbar, baunilha, couro, torrões de açúcar, vetiver, sândalo, camurça e madeira de caxemira, na base. Adiante, falarei mais sobre a composição atual à venda no mercado.

Na pele, esta versão original é de-li-ci-o-sa! Abre com um aroma amendoado, que lembra xarope usado no preparo de bebidas à base de café. A impressão que eu tenho é que a pirâmide olfativa foi virada de cabeça para baixo e a fragrância evolui ao contrário. Dá para sentir a baunilha, o açúcar, o âmbar e por aí em diante. Depois, a noz-moscada dá uma certa aquecida e faz par ideal com as madeiras e o açafrão. Particularmente, eu não identifico o jasmim neste perfume. Em contrapartida, adoro a suavidade que a nota da madeira de caxemira oferece à fragrância.

CH Men é doce na medida certa, sedutor na medida certa e confortável na medida certa. Tudo é muito bem equilibrado neste perfume. A projeção não é das melhores (não é uma bomba), mas não deixa a desejar. E a fixação é muito boa, passando das 9 horas sobre a pele, sem muito esforço.

Recentemente, li algumas reclamações sobre falta de projeção e baixa durabilidade deste perfume. Eu não conseguia entender o motivo, porque esta fragrância sempre foi significado de satisfação para mim. Foi quando descobri que a composição oficial mudou mesmo, agora com ervas e violeta, na saída; açafrão e noz-moscada, no corpo; raiz de vetiver, jasmim, sândalo, baunilha, camurça e madeira de caxemira, na base.

Como é possível perceber, algumas notas foram reposicionadas, outras retiradas e outras adicionadas. E isso faz toda a diferença, sem dúvidas! Vou tentar experimentar esta versão atual para sentir, na pele, as principais mudanças e, então, escrever uma resenha, elucidando tais questões.

No momento, só posso comentar sobre a minha versão. E embora eu não seja do tipo que cria estereótipos como “o melhor perfume de balada” ou “o perfume perfeito para conquistar uma mulher”, ouso dizer que este perfume é muito sedutor, ajuda na conquista, pede por um beijo e chama para o abraço. Deu para entender? 😉


 

The following two tabs change content below.
Publicitário, amante da comunicação, blogueiro, apaixonado por fragrâncias e cosméticos em geral. É colecionador de perfumes, resenhista nacional e internacional, consultor particular de fragrâncias e dono de um grupo no Facebook voltado apenas para os homens. Criador e proprietário do Perfumart, site especializado em perfumaria.

2 comments on “CH MEN, DE CAROLINA HERRERA (2009)

  1. Henrique Sestak

    Então ele só foi rerformulado 1 vez, as outras vezes foram só visuais não alterando a composição do suco né ?

Fique à vontade para deixar o seu comentário!

Translate »