shadow

ESSENCIAL MASCULINO, DE NATURA

Perfumart - resenha do perfume Natura - Essencial MasculinoHá muito para ser dito sobre este perfume, que foi lançado em 1995, em concentração Eau de Parfum, colocando a perfumaria masculina da Natura em pé de igualdade com as fragrâncias importadas que os brasileiros tanto desejavam e que só conseguiam mediante preços absurdos ou encomendas com amigos e parentes. Parece que foi ontem, mas os anos 80 e 90 ainda sofreram com a falta da globalização, que nos beneficiou tanto a partir dos anos 2000.

Essencial masculino é classificado como amadeirado-sensual, mas consegue navegar por outras categorias, como a fougère, a aromática e a chipre.

Possui notas de pimenta preta de Madagascar, bergamota, lavanda, gálbano, noz-moscada da Indonésia, zimbro, toranja e um toque de manjericão, na saída; Sálvia, gerânio e patchouli dominam o coração, que também conta com alecrim e jasmim; Musgo de carvalho, sândalo e cedro formam os acordes mais intensos da base, que ainda possui nuances de almíscar, âmbar, bálsamo de abeto e mirra.

Eu tive a chance de conhecer a versão vintage (o termo se aplica, já que foi lançada há 20 anos atrás), que era um pouco diferente desta que eu recebi para resenhar. Antigamente, a fragrância era mais aromática, desde o instante em que tocava a pele. Depois, se tornava mais amadeirada e vibrante, sem ficar muito verde ou muito florestal. Nesta versão atual, eu senti a saída muito mais cítrica, com maior presença das nuances de bergamota e toranja. Demora um tempo para que a evolução aconteça e o aroma que me foi familiar volte a surgir. Mas quando ele surge, é um misto de nostalgia e alegria.

Na minha pele, Essencial masculino segue o estilo amadeirado-aromático, que perfuma, transmite elegância, é versátil para o nosso clima e possui projeção muito boa, com excelente durabilidade. É uma ótima opção para uso diário e ambiente profissional, seja ele qual for.

Atualmente, é rotulado como deo-parfum, que é o nosso equivalente para Eau de Parfum, dentro das novas regras de nomenclatura para perfumes nacionais.

Com relação ao frasco, a versão que estou resenhando é esta da foto acima, que faz parte da identidade visual atual da linha, com tampa marrom, acabamento reto no topo e aplique prateado sobre a tampa, trazendo a marca da Natura. Mas este perfume já passou por, pelo menos, duas trocas de imagem. Quando foi lançado, trazia uma tampa azul com corte diagonal no topo e acabamento prateado na base da tampa. Em seguida, a tampa continuou a mesma, mas passou a ser marrom, que é a cor atual.

Para quem não conhece este perfume, quando foi lançado, em 1995, foi considerado uma versão brasileira de Cacharel Pour Homme (de 1981). Este último eu ainda não conheci, mas sei de outro que manteve a mesma fama e que está entre um dos meus preferidos, além de ter sido lançado no mesmo ano (1995): Quartz Pour Homme.

Embora a linha Kaiak seja a mais famosa dentro do universo masculino da marca, a linha Essencial é considerada a mais top, entre os consumidores. Ela também cresceu, ganhando alguns flankers, como: Essencial Intenso, Essencial Exclusivo e Essencial Estilo.

Para encerrar, uma frase do vídeo da campanha, que eu adorei: “Só o essencial fica na memória”.

*imagem: reprodução / natura.com.br


 

The following two tabs change content below.
Publicitário, amante da comunicação, blogueiro, apaixonado por fragrâncias e cosméticos em geral. É colecionador de perfumes, resenhista nacional e internacional, consultor particular de fragrâncias e dono de um grupo no Facebook voltado apenas para os homens. Criador e proprietário do Perfumart, site especializado em perfumaria.

12 comments on “ESSENCIAL MASCULINO, DE NATURA

  1. Wender Santana

    Não acho azzaro igual a Essencial e nem parece, não sou muito de usar perfumes nacionais, mas o Essencial é um dos melhores e da muito baile em importado!!!

  2. Marco Camejo

    Prezado, gostaria que olhasse com mais atenção sobre a paridade essencial x azarro clássico. Sempre fui fã de Azarro e uma vez me apresentaram o essencial, em principio, dei de ombros ( perfume nacional? eu hem), mas uma vez tive que usar e depois que o aroma florestal se vai fica a madeira e quando esta ficou não tive dúvida: olha o Azarro aí gente!!…….Acabei de ser presenteado com um essencial e estou usando azarro, passei um pouco do essencial no braço e minha colega de trabalho acabou de dizer: caraca, vc ta usando azarro de novo?…..Pois é, não só eu como minha colega de trabalho acham aromas equivalentes (reitero: equivalente nem sempre é igual)…Abraços e parabéns ao blog!!

    • Prezado Marco,
      ainda tenho Azzaro pour Homme (das antigas) em meu acervo e já usei Essencial quando foi lançado e essa versão corrente. E ratifico: não vejo qualquer semelhança entre eles. Não na minha pele!
      Normalmente, quando a semelhança me é gritante ao ponto de me fazer lembrar de outro perfume, sou o primeiro a citar nas minhas resenhas. Mas vou prestar mais atenção em uma próxima oportunidade.
      Tirando isso, você citou algo que eu sempre falo: “similar não é igual”. Obrigado por comentar e continue de olho.

  3. Redoxon

    Esse perfume não tem nada de semelhante ao maravilhoso Quartz pour homme.

  4. Leandro

    Pra mim é disparado o melhor perfume nacional! da primeira vez que senti era em uma mulher que trabalhava comigo, ela sempre ia com esse perfume mas eu nunca tinha tido coragem de perguntar, e sempre ficava apreciando aquele cheiro que só dela passar perto de mim já ficava…quando descobri que era o essencial fui logo procurar e realmente achei bem caro pra um perfume nacional (olha que isso foi em 2011)…mas um dia acabei ganhando ele de presente e adorei…é um perfume diferenciado e que chama a atenção sim…

  5. PEDRO

    BOA TARDE CASSIANO ACOMPANHO SUAS RESENHAS NA FRAGRANTICA A ALGUNS ANOS, PARABÉNS PELA DEDICAÇÃO COM EXCELÊNCIA AOS PERFUMES. EXPERIMENTEI ESTE PERFUME NUMA REVENDEDORA ESTANDO NA REVISTA UM VALOR APROXIMADO DE R$ 165,00, A FRAGRANCIA É MUITO AGUADA “ÁGUA DE CHUCHU” NÃO DURA NA PELE E POUCO PROJETA, CHEIRO BARATO PARA O VALOR É UMA PIADA DE MAL GOSTO, PERFUME BOM E FORTE TEM QUE SER IMPORTADO E COM UM ” PÉZINHO” NOS ANOS 70 E 80, É A REALIDADE. VIDE JACQUES BOGART, TED LAPIDUS, ETC, DESTAS CASAS CUSTAM ATÉ MENOS DO QUE O RESENHADO ACIMA.

    • Obrigado por acompanhar o meu trabalho, Pedro.
      Infelizmente, nem todos os perfumes reagem bem na nossa pele. Na minha pele, ele funcionou muito bem.

      Mas você disse uma bela verdade: Bogart e Lapidus são casas de respeito quando o assunto é perfume forte. Eu tb adoro!

      • É verdade a fixação depende da pele, mas para um produto nacional está caro. Rs!!!

  6. Severino

    Lembro tbm que falavam na época que a Natura se inspirou no Azzaro Pour Homme para criar o Essencial, mas nunca liguei um ao outro.

    • Azzaro pour Homme? Não acho.
      É por isso que perfume deve ser experimentado, se possível, na própria pele.
      E é por isso, também, que muita gente deixa comentários pejorativos e negativos sobre algumas fragrâncias, porque se decepcionaram, baseando-se em tais comentários que leram em algum lugar.
      Quando a gente cria expectativas e se decepciona, a culpa é nossa!

  7. Hildebrando Filho

    Olá Casiano!
    Adorei a resenha, muito bem feita e rica em detalhes… Já era esperado, vindo de um Expert no assunto. Olha, não conheço essa versão “reformulada” do Essencial, mas lembro que cheguei a comprar a versão vintage, amei a fragrância, mas não consegui usá-lo. Sempre que eu borrifava em mim, tinha uma crise de espirros, tentei por três vezes mas não consegui e tive que desapegar. Minha irmã é consultora Natura, vou pegar com ela uma amostra e vou fazer o “test Drive” mais uma vez. Excelente final de semana… Abraços!!!

    • Meu leitor mais assíduo, obrigado pelo comentário! 🙂
      Aproveita que sua irmã é consultora da marca e tenta conhecer as outras versões. Me lembro de ter lido muitos elogios para o Essencial Intenso, dizendo que era o mais próximo do vintage.

Fique à vontade para deixar o seu comentário!

Translate »