GIVENCHY

Perfumart - logo givenchy

Givenchy é uma lenda e sua grife representa sofisticação e requinte. A extrema elegância sempre foi a principal marca de suas criações. Ele nasceu em 21 de fevereiro de 1927, na pequena cidade francesa de Beauvais. Seu nome completo era Hubert-James Marcel-Taffin Givenchy e seus pais eram o Marquês Lucien Taffin de Givenchy e Béatrice de Givenchy.

Desde cedo, já demonstrava interesse pela moda. Aos dez anos, ao visitar uma exposição de figurinos de famosos estilistas franceses, identificou-se com o universo luxuoso da Alta Costura. Aos 17 anos, Givenchy foi para Paris, levando uma pasta cheia de desenhos seus.

Ao contrário do que sua família desejava, ele não se tornou advogado. Cursou a Escola de Belas Artes, em Paris, e trabalhou com nomes importantes da costura parisiense, como Jacques Fath, Robert Piguet (em 1946), Lucien Lelong (ao lado de Pierre Balmain e Christian Dior) e Elsa Schiaparelli (em 1949). Abriu sua própria maison em fevereiro de 1952 e o reconhecimento foi quase imediato.

Nesse mesmo ano, apresentou sua primeira coleção, que ficou marcada pela blusa de babados nas mangas, batizada de Bettina, uma homenagem à Bettina Graziani, nome da sua principal modelo e também Relações Públicas da marca. A blusa tinha a gola larga e aberta, além de mangas que terminavam em babados de bordado inglês.

No ano seguinte, abriu sofisticadas lojas em cidades como Buenos Aires, Roma e Zurique. Suas criações eram luxuosas e cheias de estilo, com nítida influência do estilista Cristóbal Balenciaga. Aliás, Givenchy jamais negou que o trabalho do mestre espanhol o inspirava. Balenciaga e Givenchy se conheceram em 1953 e foram amigos até a morte do estilista espanhol, em 1972.

O ano de 1953 foi muito importante para ele, pois conheceu aquela que viria a ser sua musa inspiradora, amiga e responsável por muito de seu sucesso internacional, a atriz Audrey Hepburn. Então, passou a criar modelos para seus filmes, como Sabrina (1954) e Cinderela em Paris (1957). Além de Audrey, Givenchy também vestiu outras personalidades famosas, como Gloria Guinness, Greta Garbo, Elizabeth Taylor, Marlene Dietrich, Jacqueline Kennedy, Grace Kelly, Ingrid Bergman, etc.

Ainda nos anos 50, ele criou vários modelos de vestidos “chemisier”. Em 1956, mais uma vez quebrou as regras e se tornou o primeiro estilista a apresentar as suas coleções, simultaneamente, para clientes e imprensa.

Em 1957, lançou o seu primeiro perfume feminino, chamado L’Interdit, em homenagem a atriz Audrey Hepburn, que emprestou seu rosto para a campanha publicitária do produto. Em 1959, mais um sucesso ao lançar Monsieur Givenchy, seu primeiro perfume masculino.

Em 1961, sua loja mudou para a Avenida George V e nos anos seguintes a grife iniciou uma enorme diversificação de produtos, com o lançamento de uma coleção de óculos, tecidos para móveis, toalhas de mesa, gravatas, sapatos e até joias. Apesar do sucesso e do glamour, a grife passou por problemas financeiros, o que culminou com sua venda, em 1988, para o grupo Louis Vuitton. A divisão de perfumes já havia sido vendida para o grupo LVMH (ainda sob sob outro nome), em 1981.

Givenchy se despediu das passarelas em 11 de julho de 1995. Sua aposentadoria abriu caminho para uma total reestruturação da empresa, com a contratação de John Galliano, Alexander McQueen e, por último, Julien MacDonald. Galliano teve uma passagem rápida, em 1996, e rapidamente foi para a Dior.

Hubert de Givenchy esteve no Brasil duas vezes: a primeira na década de 50, para o lançamento de uma coleção de algodão, e a outra em 1995, para abrir o Primeiro Congresso Brasileiro de Moda, promovido pelo Instituto Zuzu Angel e pela Faculdade Veiga de Almeida, no Rio de Janeiro. Atualmente, a Givenchy é comandada pelo estilista italiano Riccardo Tisci.

O sucesso da marca continua e até o momento a Givenchy já conta com mais de 210 perfumes catalogados e comercializados ao redor do mundo. Suas fragrâncias foram criadas por inúmeros perfumistas de prestígio no mercado internacional, tais como: Christine Nagel, Alberto Morillas, Mark Buxton, Christophe Raynaud, Dominique Ropion, Francois Demachy, Michel Almairac, Olivier Cresp, Annick Menardo, entre outros.

Aviso legal: Marcas e logotipos pertencem às empresas e fabricantes e são usados aqui, exclusivamente, para fins de ilustração aos leitores.


 

FACEBOOK >>

Twitter >>

Instagram >>