shadow

KAIAK AERO, DE NATURA

Perfumart - resenha do perfume Natura Kaiak Aero

Desde 1996, quando o perfume original foi lançado, a linha Kaiak ainda lidera os rankings da perfumaria masculina nacional. Agora, 20 anos após a sua chegada ao mercado, a Natura está trazendo Kaiak Aero, que foi apresentado na festa de encerramento de 2017 para convidados, jornalistas e influenciadores da área e tem previsão de venda a partir do segundo ciclo de janeiro de 2018.

Kaiak Aero traz, em seu conceito, o encontro do vento forte com a água do mar. Dito isso, a interpretação é clara e pode ser imaginada de diversas formas: uma caminhada pela orla, uma visita a um mirante na ponta da praia ou um passeio radical de parapente sobre o mar. E tudo isso vem dentro de um frasco que respeita o padrão da linha, mas trouxe um lindo gradiente que começa nos acabamentos plásticos de cor branca e termina em um azul digno de praias paradisíacas.

A fragrância combina notas de bergamota, zimbro, cardamomo e ruibarbo, abrindo caminho para acorde tônico (Symarine), acorde verde de gerânio e folhas de violetas, sobre uma base de cedro, sândalo e molécula Ambrostar (Symrise). Mas há alguma nota escondida na saída que me remete a melão (ou melancia) e que, para variar, não foi divulgada. Aliás, vale esclarecer que na minha visita à Natura para conhecer Homem Sagaz, toquei nesse ponto com o time de Marketing, pois acho de suma importância que as principais notas sejam listadas para o conhecimento de todos.

Voltando ao que importa, Kaiak Aero tem várias faces. É frutado até um certo ponto, quando começa a ficar mais fresco e aromático. De repente, apresenta um lado marinho e termina mais amadeirado. Um ponto positivo é o fato de trazer algo do DNA da versão original, que muito me incomoda em flankers “desnaturados” quando não o fazem. Possui versatilidade e tem grande chance de se tornar o perfume assinatura de muitos homens, porque pode ser carregado na mochila e/ou bolsa e utilizado no trabalho, na academia, na faculdade e na esticada para o happy hour.

Kaiak Aero exala bem e possui fixação boa, permanecendo na minha pele por cerca de sete horas. E antes que me perguntem, me lembra um monte de outras fragrâncias de mesmo estilo, ou seja, não me parece uma criação com uma inspiração específica, até porque a Natura tem conhecimento e óleos essenciais suficientes para criações próprias. E ainda me trouxe um pouco de nostalgia, já que em alguns momentos me fez lembrar do perfume X-Centric, de Dunhill, que deixou saudades.

Os pontos negativos para mim foram: falta de maior presença do ruibarbo, que confere um cheiro amargo e metalizado, além do fato de achar que a empresa perdeu uma melhor oportunidade de inserção nas vendas de final de ano, dando maior destaque para o Natura Homem Sagaz. Inclusive, fiz essa crítica em vídeos na minha conta do Instagram (Stories).

Tirando isso, parece que a Natura reencontrou o caminho do frescor que o homem brasileiro gosta de sentir em perfumes. Grata surpresa!


 

The following two tabs change content below.
Publicitário, amante da comunicação, blogueiro, apaixonado por fragrâncias e cosméticos em geral. É colecionador de perfumes, crítico de fragrâncias nacionais e internacionais, consultor particular de estilo em perfumaria e dono de um grupo no Facebook voltado apenas para os homens. Criador e proprietário do Perfumart, portal especializado em perfumaria.

Fique à vontade para deixar o seu comentário!

Translate »