shadow

LES GOURMANDISES DE LUNA, DE NINA RICCI

Perfumart - resenha do perfume Nina Ricci - Les Gourmandises de Luna

Les Gourmandises de Luna chegou ao mercado junto com a sua cara metade – Les Gourmandises de Nina – dando continuidade à história e ao conceito das amigas inseparáveis, vividas pelas modelos Frida Gustavsson and Jac Jagaciak. A inspiração foram dias de verão mais doces e a deliciosa amizade vivida pelas heroínas dos dias modernos. O nome Les Gourmandises vem do Francês, que significa As Guloseimas em nosso idioma.

Ambas as fragrâncias foram anunciadas, oficialmente, em abril de 2017 (inclusive, na lista mensal do blog) e no Brasil o evento de lançamento ocorreu em agosto daquele ano (e eu estive lá, conferindo tudo de perto).

A composição oficial fala de uma fragrância criada para sublimar uma iguaria gelada e capaz de deixar a boca cheia de água, através de um suave caramelo. Possui notas de granita de pera (uma espécie de frozen) e creme de toranja na saída, conferindo um acorde mais refrescante. Em seguida, notas de coco e pétalas de peônias brancas trazem um corpo mais leitoso, enquanto notas de sândalo e caramelo conferem peso e resultam em uma base mais densa e doce. A ideia foi representar um coulis (termo Francês para calda ou molho, normalmente feito de frutas e açúcar) refrescante sobre uma sobremesa gourmand.

Les Gourmandises de Luna trouxe a criação conjunta de Christophe Raynaud e Marie Salamagne novamente, repetindo o processo criativo de Luna Eau de Toilette e tentando manter uma assinatura olfativa coesa.

Na minha opinião, dá para sentir a ligação com o DNA de Luna, mas acho que não houve esforço em criar algo diferenciado. Infelizmente, a fragrância me faz lembrar muito de perfumes como Black Opium – principalmente, a versão Eau de Toilette e seu acorde de pera e citrinos – e Poison Girl, com sua evolução doce e jovial. Faltou trazer aquela faceta incrível da sempre-viva (immortelle), bem como um toque da flor de laranjeira, mesmo que em menor quantidade.

É um perfume ruim? De forma alguma! Mas é um produto de 2017 que repete o cheiro de perfumes lançados em 2014, 2015 e 2016. Particularmente, entendo que poderia ter sido melhor trabalhado, mas acabou sendo mais do mesmo.

Eu compraria? Com certeza, se fosse colecionador(a) da linha ou fã da grife e pensasse em alguns fatores, como o fato de ser edição limitada, possuir um frasco belíssimo (que repete o design de Luna, mas conta com confeitos coloridos), além de custar menos do que as outras fragrâncias citadas anteriormente.

Para finalizar, vale dizer que projeta muito bem, mas não tem longa fixação na pele. Na minha, durou cerca de seis horas (sendo bem generoso) e isso é pouco para uma fragrância de estilo gourmand. De toda forma, na pele bem cuidada de uma mulher, principalmente as mais jovens (enquanto público-alvo), pode durar bem mais, nunca se sabe.


 

The following two tabs change content below.
Publicitário, amante da comunicação, blogueiro, apaixonado por fragrâncias e cosméticos em geral. É colecionador de perfumes, crítico de fragrâncias nacionais e internacionais, consultor particular de estilo em perfumaria e dono de um grupo no Facebook voltado apenas para os homens. Criador e proprietário do Perfumart, portal especializado em perfumaria.

Fique à vontade para deixar o seu comentário!

Translate »