shadow

L’EXTASE CARESSE DE ROSES, DE NINA RICCI

Perfumart - resenha do perfume Nina Ricci - L'Extase Caresse de Roses

Depois de diversas fragrâncias e duas coleções de grande sucesso na perfumaria (L’Air du Temps e Nina), a grife Nina Ricci lançou um terceiro pilar, em 2015, com a fragrância L’Extase. A inspiração foi abraçar o sonho de uma mulher em sintonia com seus desejos mais íntimos; uma feminilidade revivida de erotismo. Um sonho erótico feminino, uma viagem imaginária e sensual até o êxtase.

Para criar a fragrância, a empresa convidou Francis Kurkdjian a fim de dar vida à uma composição floral-oriental e cheia de nuances gourmands. O frasco com formato de clutch (uma espécie de bolsa de mão, que desempenha papel de acessório e não sai de moda) ficou lindo e chamou a atenção do público e dos críticos.

Em 2016, seguindo uma tendência mundial, a grife decidiu lançar uma versão mais luminosa, de apelo mais diurno. Porém, ao invés de lançar um perfume com nome de L’Extase Eau de Toilette, decidiu investir em uma fragrância com maior concentração de óleos essenciais e composição floral. Nascia, então, L’Extase Caresse de Roses (Carícia das Rosas, em Português) em concentração Eau de Parfum Légère.

Novamente, Francis Kurkdjian foi o perfumista responsável pela tarefa de dar vida à uma fragrância que continuasse contando a história da mulher que chega ao clímax e exala desejo, mesmo durante o dia. A composição oficial traz essência de rosa da Bulgária, no topo, abrindo caminho para um coração floral de absoluto de rosa da Turquia, violetas e peônias, sobre um fundo de almíscar branco.

Na pele, L’Extase Caresse de Roses é sensualidade engarrafada. É um buquê floral de rosas, que passeia pelas diversas vertentes da flor, tais como o lado inocente, o opulento e o metalizado. As peônias ajudam a propagar tal impressão, mas a violeta confere uma suavidade seca, que chega a ser adocicada por alguns instantes. E o almíscar branco, usado em grande quantidade, acaba conferindo aquele aspecto floral leitoso e sensual, que serve mais como pano de fundo e auxílio de fixação, do que qualquer outra coisa.

Por incrível que pareça, mesmo com composições totalmente diferentes, as comparações são verdadeiras: L’Extase Caresse de Roses tem um caminho olfativo muito parecido com a fragrância de J’adore EDP. Entretanto, vale lembrar que a semelhança é grande durante alguns estágios da evolução, mas elas não são idênticas. Esta aqui tem muito mais teor de rosas e evolui um pouco mais do que a outra, da Dior. Acho as duas bastante versáteis, mas esta é mais discreta (exala menos) e isso é um ponto muito procurado por mulheres que se preocupam com o uso de perfumes em locais fechados, como no ambiente profissional.

O frasco desta versão ganhou pintura mais clara, resultando em uma espécie de nude translúcido, além de trazer um pingente inspirado na pulseira “Calisto”, que foi idealizada por Guillaume Henry para sua primeira coleção de prêt-à-porter da grife.


 

The following two tabs change content below.
Publicitário, amante da comunicação, blogueiro, apaixonado por fragrâncias e cosméticos em geral. É colecionador de perfumes, crítico de fragrâncias nacionais e internacionais, consultor particular de estilo em perfumaria e dono de um grupo no Facebook voltado apenas para os homens. Criador e proprietário do Perfumart, portal especializado em perfumaria.

Fique à vontade para deixar o seu comentário!

Translate »