NATURA

Perfumart - logo Natura

A natura nasceu no dia 28 de agosto de 1969, quando o economista Antônio Luiz Seabra (nascido em 1942), em sociedade com Jean Pierre Berjeaout, fundaram a Indústria e Comércio de Cosméticos Berjeaout Ltda. Em poucos meses, devido à participação de ativos vegetais na composição dos produtos, a empresa passou a se chamar Natura.

A nova empresa era constituída por um punhado de formulações de cosméticos (dadas pelo pai de Jean), uma pequena fábrica no bairro da Vila Mariana e uma modesta loja de cosméticos na Rua Oscar Freire, em São Paulo (que foi inaugurada um ano depois). Luiz Seabra, junto com outros sete funcionários, vendiam os produtos e prestavam consultoria de beleza aos consumidores. Foi atendendo e conversando com seus clientes que eles constataram o potencial transformador dos cosméticos, através do processo automático de aumento da autoestima.

A marca foi lançada baseada na qualidade dos seus produtos e, também, na força do conceito de ajudar as pessoas a se conhecerem melhor e a serem mais felizes. A NATURA era movida pela paixão do produto cosmético – como importante veículo de autoconhecimento – e seu poder de transformação na vida das pessoas. Porém, durante os primeiros anos, a empresa estava na contramão do mercado: a cosmética terapêutica era uma ilustre desconhecida e os princípios ativos de origem natural ainda não estavam em moda.

Apesar das dificuldades, entre as clientes entusiasmadas pelos resultados obtidos no uso dos produtos, a empresa identificou um número considerável de interessadas em se tornarem consultoras. Então, em 1974, a NATURA optou pela venda direta, reconhecendo a força do contato pessoal e das relações para levar seus produtos à casa de mais consumidores. E foi essa crença na força e na riqueza das interações humanas que influenciou seu modelo de negócio. O sucesso foi tanto que, pouco tempo depois, a empresa decidiu fechar a loja da Rua Oscar Freire.

Em 1976, a empresa veiculou seu primeiro anúncio na revista Claudia. Além disso, lançou o primeiro catálogo de vendas, com informações detalhadas sobre a forma de utilizar os produtos, que se transformou em uma ferramenta decisiva no negócio.

No início dos anos 80 houve a necessidade de ampliação da oferta de produtos. Além da cosmética terapêutica, a empresa passou a vender linhas de maquiagem e perfumaria. Também, em 1981, a NATURA foi a primeira empresa do ramo a criar um serviço telefônico gratuito de atendimento aos consumidores.

Em 1983, chegou ao mercado norte-americano, para uma curta experiência em Miami, com a marca NUMINA. Neste mesmo ano, inovou ao lançar refis de seus produtos, reforçando seu compromisso com as questões ambientais. Em 1984, a marca lançou um de seus produtos mais conhecidos: o sabonete Erva-doce.

Em 1989, impulsionada pela fusão das quatro pequenas empresas que formavam o sistema NATURA, emergiu renovada e capaz de atrair e mobilizar a energia e os corações de milhares de consultoras, consumidores e colaboradores.

Em 1995, trouxe mais uma ação social de peso com a criação do Crer para Ver, uma linha de produtos não-cosméticos, cujo lucro é revertido para ações de educação. Em 1996, passou a veicular, pela primeira vez em comerciais de cosméticos, mulheres “reais” e de várias idades.

Em 1999, a Natura comprou o fabricante de produtos fitoterápicos Flora Medicinal, ganhando acesso à tecnologia da produção de produtos feitos à base de plantas.

Em 2000 foi a vez da linha EKOS, apoiada na valorização da cultura, da tradição e da biodiversidade brasileiras. Foi o primeiro passo para o trabalho conjunto com as comunidades tradicionais da floresta, auxiliando na estruturação de cadeias sustentáveis de extração de recursos da biodiversidade.

Em 2002, a empresa ingressou com seus produtos nas lojas de aeroportos brasileiros e, em 2005, estreou na Europa, com uma moderna loja localizada, inicialmente, no bairro de Saint Germain des Près, em Paris.

Em 2009, ao completar 40 anos, a NATURA atingiu a marca histórica de 1 milhão de consultores. O investimento em inovação se manteve, mas o gasto em marketing cresceu. Essa estratégia gerou resultado e a empresa atingiu faturamento e lucratividade recordes em 2010. Neste ano, intensificou sua atuação internacional na América Latina, com produção local na Argentina, Colômbia e México.

Em 2011 lançou o programa Amazônia e, em 2012, adquiriu a marca australiana Aesop. Em 2013, criou a linha SOU e, mais tarde, em 2015, implantou a revenda desses produtos em algumas drogarias e farmácias.

Finalmente, em 2016, a Natura inaugurou sua primeira loja física no Brasil, expondo produtos selecionados, de maneira convidativa, para uma clientela que não foi habituada a testar antes de comprar.

Ao todo, a Natura já lançou mais de 220 fragrâncias no mercado brasileiro. 

Aviso legal: Marcas e logotipos pertencem às empresas e fabricantes e são usados aqui, exclusivamente, para fins de ilustração aos leitores.


 

FACEBOOK >>

Twitter >>

Instagram >>