shadow

#URBANO, DE NATURA

Perfumart - resenha do perfume Natura - urbanoCom a proposta de trazer um aroma que represente o jovem urbano, aquele que faz, através de suas manifestações artísticas, como o grafite, a sua própria voz e o seu manifesto, a Natura utilizou matérias-primas inovadoras, nunca utilizadas antes na perfumaria mundial. Para tal, uniu forças à Givaudan e um time de 3 perfumistas foi criado para dar vida à esta fragrância.

No topo da composição, foram adicionadas notas de pomelo, mandarina, pimenta rosa, gengibre, acorde aquoso e cardamomo. No coração, lavanda, zimbro, alecrim, noz-moscada e a inovadora Akigalawood, que é obtida do patchouli, através de biotecnologia. Segundo o Relatório Anual de 2012 da Givaudan, a Akigalawood possui aspectos especiarados (ou especiados, como se fala hoje em dia) de pimenta e cúrcuma, que se fundem a nuances amadeiradas similares a do agarwood, com um toque floral que lembra rosas. É obtida através da transformação enzimática de uma determinada fração do óleo essencial do patchouli. Por fim, a base carrega notas de almíscar, cedro, patchouli e âmbar.

Assim que borrifado, logo nos instantes iniciais, o aroma que chega às narinas não me agradou. Isso porque o que eu senti foi aquele cheiro que me fez pensar, de imediato: “mais um típico perfume nacional”. Não que isso (ser nacional) seja um defeito ou que eu possua qualquer tipo de preconceito. Muito pelo contrário, sou um grande defensor da perfumaria nacional. Mas preciso reportar, com honestidade, as sensações que os perfumes me transmitem quando estou analisando-os, antes de produzir as resenhas. E como estamos em 2014, acho que a tecnologia e o número de profissionais da área cresceram bastante, a ponto de ainda termos fragrâncias com o mesmo aroma das produzidas nos anos 80, quando ainda se copiavam as fragrâncias importadas mais famosas. Portanto, a crítica que faço aqui é relacionada à falta de criatividade.

Mas este aroma, que me remeteu a tantas outras criações nacionais, felizmente se esvai em cerca de 2 minutos. Então, é possível notar uma saída mais frutada e, ao mesmo tempo, herbal. Após cerca de 15 minutos, o coração já começa a bater mais forte, quando nuances mais amadeiradas surgem, juntamente com o zimbro e o alecrim. Até então, o perfume se mostrou bastante aromático. Passada cerca de 1 hora, uma evolução acontece e a fragrância começa a se tornar mais cremosa, graças ao âmbar. É possível, então, sentir bastante cedro no fundo.

Trata-se de um perfume jovial e muito bom para uso diário, com projeção ativa por cerca de 3 horas e fixação garantida entre 6 a 7 horas, pelo menos na minha pele. O frasco lembra, de certa forma, o do Play (Givenchy) e traz 4 artes aleatórias que não podem ser escolhidas, pois a embalagem é sempre a mesma. Faz parte da surpresa de ser #urbano. Surpreenda-se!

*imagem: reprodução / natura.com.br


The following two tabs change content below.
Publicitário, amante da comunicação, blogueiro, apaixonado por fragrâncias e cosméticos em geral. É colecionador de perfumes, resenhista nacional e internacional, consultor particular de fragrâncias e dono de um grupo no Facebook voltado apenas para os homens. Criador e proprietário do Perfumart, site especializado em perfumaria.

Fique à vontade para deixar o seu comentário!

Translate »