shadow

EAU DE ROCHAS HOMME, DE ROCHAS

Perfumart - resenha do perfume Rochas - Eau de Rochas Homme

O perfume Eau de Rochas foi lançado em 1970, celebrando 50 anos de sucesso em meados de 2020. Neste caso, estou me referindo à versão feminina, que nasceu bem antes da fragrância idealizada para os homens, em 1993.

Quando Eau de Rochas Homme chegou ao mercado, fragrâncias com a mesma assinatura olfativa já existiam, então não representou uma grande inovação na época. Mas era importante para a marca, que a versão masculina estivesse à altura da feminina, que continuava trazendo bons resultados com as vendas, mesmo duas décadas depois de sua criação.

O então perfumista interino de Rochas – Nicolas Mamounas –, que também criou a versão feminina, apostou em um cítrico-aromático mais clássico, que trouxesse a elegância existente na época em que o perfume feminino foi lançado. Voltando no tempo, tínhamos Eau Sauvage (Dior, 1966) e YSL Pour Homme (YSL, 1971), com seus acordes cítricos, corpo floral e base amadeirada. A fórmula era sempre a mesma: muito limão, bergamota, manjericão, verbena, gerânio, musgo e vetiver.

Eau de Rochas Homme não fugiu à regra e trouxe uma composição repleta de ingredientes, bem daquele jeito que se fazia antigamente, ou seja, sem minimalismo. Com notas de limão Siciliano, limão Tahiti, bergamota, verbena, mandarina e manjericão, a saída explosiva ainda recebeu um reforço de aldeídos. No corpo da fragrância, notas de gerânio, frésias, lírio do vale, rosa, jasmim, agulhas de pinheiro, artemísia e coentro. Na base, notas de almíscar e âmbar, sobre um patamar de cedro, musgo de carvalho e vetiver.

Oficialmente, não se falou em reformulação. Mas junto com o repackaging das fragrâncias masculinas, que ocorreu nos anos 2000, alguns ajustes foram realizados em diversas linhas e Eau de Rochas Homme não ficou de fora. Visualmente, não mudou muito, exceto pela tampa. Com relação à fragrância, usuários fiéis desde os anos 90 afirmam que a versão recente não é mais tão musgosa. Entretanto, defendem que ainda continua muito leal à versão original.

Na pele, Eau de Rochas Homme é um deleite de refrescância. Diferente dos outros perfumes da concorrência, este traz mais versatilidade e um toque de jovialidade. A saída explode com um aspecto mais natural e leve, a evolução não é tão adstringente como nas outras fragrâncias citadas e a secagem não parece tão pesada.

Isso significa que deixou de lado o estilo clássico ou, como é chamado popularmente, de “tiozão”? Não. Mas o tio que usa Eau de Rochas Homme é mais jovem, cuida da aparência e acabou de completar seus 40 anos. O que não significa, contudo, que o rapaz de vinte e poucos anos e alma sóbria está proibido de usar esta fragrância, só para deixar bem claro.

Obviamente, com tantas notas voláteis, Eau de Rochas Homme não é o melhor exemplo de rastro e longevidade. Mas é, ainda, uma das melhores opções disponíveis para dias de calor, se você é aquele tipo de usuário que não se dá bem com nuances de melancia, acorde ozônico ou efeito saponáceo.

Mais do que um cítrico-aromático, este perfume possui uma aura chipre que faz toda diferença. Particularmente, sinto um cheiro de limonada fresca, levemente adoçada e sem qualquer faceta azeda. É um perfume limpo, fresco, elegante (sem precisar tomar aulas de etiqueta) e com apelo revigorante.

É claro que só posso falar por mim, mas se você gosta desse tipo de fragrância, acredito que não irá mais ficar sem um frasco depois que conhecer esta aqui.


 

The following two tabs change content below.
Publicitário, amante da comunicação, blogueiro, apaixonado por fragrâncias e cosméticos em geral. É jurado e crítico de fragrâncias nacionais e internacionais, consultor particular de estilo em perfumaria e dono de um grupo no Facebook voltado apenas para os homens. Criador e proprietário do Perfumart, blog especializado em perfumaria.

Latest posts by Cassiano Silva (see all)

Fique à vontade para deixar o seu comentário!

%d blogueiros gostam disto: