shadow

INDOCHINA, DE ALQUIMIA POR PAULA FRANCO

Perfumart - resenha do perfume Indochina

Indochina foi desenvolvido em 2017 e pertence à linha Botânica, com perfumes criados por Maria Paula Franco, e sua fragrância é classificada como oriental-gourmand-amadeirada. O conceito criativo fala da sensação de um calor aromático e picante, onde o cheiro dos incensos de madeiras, do café e das flores se misturam com especiarias típicas da culinária da Indochina.

A inspiração vem de uma viagem pela Indochina, incluindo Vietnã, Laos e Camboja e a fragrância possui uma combinação rica de óleos essenciais de petitgrain, bergamota e folhas de curry, além de frangipani, jasmim de Madurai, café torrado, cacau, baunilha e sândalo do Mysore. Não para por aqui! A composição de Indochina ainda traz nardo verde, cedro, madeira do Sião, imbuia, raiz de angélica, olíbano da Somália, ládano, musgo de carvalho e tabaco.

Particularmente, nunca viajei para nenhum dos lugares citados acima, mas gosto bastante do que esta fragrância me transmite. Indochina é, para mim, uma criação oriental-fougère que brinca de túnel do tempo e me leva para os anos 70 e 80, quando clássicos eram musgosos e cheios de especiarias.

Ao tocar a pele, vem cheia de tons azedos e ácidos, que respondem pelo petitgrain e pelas folhas de curry, que costumam ter um aroma fresco e penetrante, parecido com o das folhas de tangerina. Esse lado cítrico se dissolve em um buquê floral luminoso, que não consegue se fazer muito feminino, porque os acordes desta criação são interligados por um DNA acourado e viril.

A parte central revela as nuances musgosas e aromático-terrosas do nardo, que são abraçadas por várias madeiras e por uma baunilha licorosa. Esse estágio da secagem acaba trazendo uma faceta mais alcóolica, como se houvesse uma nota leve de whisky. É o tabaco, mostrando uma de suas feições!

Então, depois de bastante tempo, a base emerge de maneira esfumaçada, como um incenso de almíscar e especiarias leves sendo queimado no canto de uma tabacaria. A durabilidade é alta!

Na minha opinião, Indochina não é 100% unissex. Dentro dos aspectos mais comerciais – que ainda importam para muitos consumidores – eu diria se tratar de uma fragrância mais masculina, porém, facilmente compartilhável.

Se você consegue imaginar uma fragrância que combina os perfis de Karl Lagerfeld Classic e Boss Number One com o coração floral e especiado de Obsession Eau de Parfum, por exemplo, então você já tem uma boa ideia de como é este perfume. E a cor alaranjada do líquido reforça esse processo conceptivo.

*imagem: reprodução / alquimiaporpaulafranco.com.br


The following two tabs change content below.
𝘽𝙤𝙧𝙧𝙞𝙛𝙖𝙣𝙙𝙤 𝙘𝙤𝙣𝙝𝙚𝙘𝙞𝙢𝙚𝙣𝙩𝙤 𝙝𝙖́ 𝙖𝙣𝙤𝙨. Crítico de fragrâncias, jurado de premiações nacionais nas categorias de perfumaria fina e cosméticos masculinos, além de consultor particular de estilo em fragrâncias e criador do Perfumart, blog especializado no assunto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *