shadow

JIMMY CHOO EAU DE PARFUM, DE JIMMY CHOO

Perfumart - resenha do perfume Jimmy Choo Eau de Parfum

Lançado em fevereiro de 2011, o perfume Jimmy Choo Eau de Parfum chegou ao mercado com uma proposta de poder e sensualidade, a fim de conectar a fama de seus sapatos com o glamour da perfumaria. Foi a primeira fragrância da marca e seu frasco foi desenhado pela própria Tamara Mellon (sócia da grife desde 1996), que se inspirou nos vidros Murano.

A fragrância de Jimmy Choo Eau de Parfum é classificada como chipre-moderna com nuances frutais. Foi criada por Olivier Polge e suas notas de saída são néctar de pera e laranja doce italiana, com uma nota central de orquídea-tigre e uma base gourmand com acorde de toffee e patchouli.

A palavra que define esta fragrância é exótica. Foi, quando lançada, e continua sendo, quando comparo com muito do que há no mercado atual. E muito se fala do patchouli – sim, bastante presente –, mas Jimmy Choo Eau de Parfum tem mais camadas do que aparenta.

Assim que borrifada sobre a pele, o tal néctar de pera invade as narinas e revela um imenso teor aldeídico e, ao mesmo tempo, adocicado. Não é a pera suculenta, mas uma geleia ou, melhor ainda, peras ao vinho. Com ela, a laranja tenta trazer facetas mais cítricas, mas acaba trazendo um lado frisante que, como resultado, me entrega um cheiro de guaraná. Isso mesmo, guaraná!

Então, uma nota floral fantasiosa e sensual começa a exalar, evidenciando nuances ambaradas que, provavelmente, foram criadas no acorde. Se você já sentiu o cheiro da orquídea-chocolate, então vai notar a semelhança.

Nesta fase, a saída pesada e, por vezes, invasiva começa a ceder. Aqui, Jimmy Choo Eau de Parfum muda de personalidade e avança para um lado mais seco. Em mim, não fica atalcado, mas sei que essa característica é um problema para muitas mulheres.

A projeção também diminui à medida em que o patchouli adocicado surge. A base traz um patchouli diferente, que não apresenta nuances quentes de chocolate, mas traz uma textura de calda de caramelo rala, como quando o açúcar começa a derreter na panela, mas ainda não consegue encher o ambiente com dulçor exagerado.

Na minha pele, a performance é boa e a fragrância se comporta de maneira bastante compartilhável. Jimmy Choo Eau de Parfum não é “mais do mesmo” e ainda se mantém em uma lacuna diferenciada, tanto que é menos comentada (e copiada) do que inúmeras outras fragrâncias da concorrência.

Sei que já comentei, mas não custa repetir: exótica é a palavra!


The following two tabs change content below.
𝘽𝙤𝙧𝙧𝙞𝙛𝙖𝙣𝙙𝙤 𝙘𝙤𝙣𝙝𝙚𝙘𝙞𝙢𝙚𝙣𝙩𝙤 𝙝𝙖́ 𝙖𝙣𝙤𝙨. Crítico de fragrâncias, jurado de premiações nacionais nas categorias de perfumaria fina e cosméticos masculinos, além de consultor particular de estilo em fragrâncias e criador do Perfumart, blog especializado no assunto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *