shadow

SCANDAL POUR HOMME, DE JEAN PAUL GAULTIER

Perfumart - resenha do perfume Gaultier - Scandal Pour HommeScandal Pour Homme foi anunciado, internacionalmente, em junho de 2021, sendo a primeira fragrância masculina dentro do pilar Scandal, cuja fragrância feminina foi lançada em 2017.

O conceito mudou bastante. Se na outra, a vida de Madame La Ministre era o centro das atenções, nesta aqui o pugilista é o campeão invicto, o rei dos ringues que seduz todos ao seu redor. Muitos talvez não saibam, mas o tema dos boxeadores fez parte dos desfiles mais recentes da grife.

Visualmente, o frasco me agrada, mas não se conecta com a versão feminina. Se antes, as pernas chamavam a atenção de quem já se rendeu ao espartilho, por que não braços com luvas de boxe ao invés da coroa (ainda que bem-acabada)?

A fragrância é uma cocriação envolvendo Quentin Bisch, Christophe Raynaud e Nathalie Gracia-Cetto. Aliás, Christophe Raynaud também participou da criação da primeira fragrância feminina. Desta vez, foram combinadas notas de sálvia esclareia e mandarina, no topo; Fava tonka e caramelo, no corpo; Vetiver, na base da pirâmide olfativa.

Na pele, Scandal Pour Homme faz jus ao nome de Jean Paul Gaultier no tocante à sua história na indústria de perfumes, onde a maioria absoluta é sempre inusitada, potente e com um pé no limite do incômodo. A saída é um banho de sálvia esclareia, com muitas nuances herbais e adocicadas, por vezes com cheiro de fumaça doce, como aquelas produzidas com gelo seco em festas e shows. Ponto positivo para o frescor suculento da mandarina, que é evidente nos instantes iniciais e, na minha opinião, merecia durar mais tempo sobre a pele.

Sem que eu perceba, o caramelo já dá sinais da sua potência desde o início e perdura por toda a evolução e secagem, provando-se o ingrediente-chave da composição. Nesse ponto, se faz necessário elogiar as facetas mais cremosas e sensuais que foram exploradas. Há um teor gourmand de boa qualidade, com variações que até parecem salgadas e que eu, até então, só havia sentido nas criações de Thierry Mugler, em se tratando do segmento dos Designers.

Por fim, eu até poderia inventar alguma coisa para citar o vetiver, mas não seria uma avaliação digna do meu trabalho. E essa é uma das vantagens de avaliar sem pressa, vestindo a fragrância uma vez aqui, outra acolá, há cerca de dois meses. A verdade é que a fragrância de Scandal Pour Homme é classificada como amadeirada-oriental, mas, na prática, é gourmand e não combina com temperaturas quentes.

Portanto, a melhor maneira de traduzir esse cheiro em palavras é dizendo que Scandal Pour Homme é um verdadeiro gancho de esquerda, que arrebenta nosso nariz com o dulçor ambarado da sálvia esclareia, desnorteando os sentidos com um caramelo persistente e nos levando à nocaute com o efeito amendoado da fava tonka. E os efeitos desse golpe são duradouros e visíveis, pelo menos para quem está fora do ringue.


The following two tabs change content below.
𝘽𝙤𝙧𝙧𝙞𝙛𝙖𝙣𝙙𝙤 𝙘𝙤𝙣𝙝𝙚𝙘𝙞𝙢𝙚𝙣𝙩𝙤 𝙝𝙖́ 𝙖𝙣𝙤𝙨. Crítico de fragrâncias, jurado de premiações nacionais nas categorias de perfumaria fina e cosméticos masculinos, além de consultor particular de estilo em fragrâncias e criador do Perfumart, blog especializado no assunto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: