shadow

CHYPRE ROUGE, DE SERGE LUTENS

Perfumart - resenha do perfume Chypre RougeChypre Rouge foi lançado em 2006 e seu nome significa, em Português, “Chipre Vermelho”. É mais uma daquelas fragrâncias que retratam as memórias de infância de Serge Lutens, ainda na França.

Serge defende seu conceito como: “um castelo, cuja ponte se levanta e, então, Gilles de Rais (conhecido como Barba Azul) retorna ao seu lar para, logo em seguida, seu sangue manchar o piso de madeira do Château de Tiffauges”.

Além disso, o site oficial explica que, originalmente, a fragrância tinha o nome de seu País de origem, onde os habitantes usavam sachês de cistus (esteva) e musgo de carvalho – retirado das vigas de madeira – para perfumarem as suas casas.

Chypre Rouge possui notas de tomilho, agulhas de pinheiro, mel, cera de abelhas, jasmim, patchouli, baunilha, musgo, âmbar, almíscares e gomas de frutas. Na minha pele, o resultado não me agradou muito. Sabe aquele aroma de remédio para tosse infantil? Então, foi exatamente o que senti!

Não é de todo ruim e, em alguns momentos, eu até gostei da fragrância. Mas achei doce e enjoativa demais. É o tipo de perfume doce que eu não curto. O resultado parece um misto de frutas vermelhas com mel, que é muito sintético e artificial. Não consegui sentir o jasmim, o patchouli e nem o musgo, que também fazem parte da composição.

É forte? Sim. Fixa bem? Muito. Mas, sinceramente, não sei se eu o usaria, mesmo ganhando um frasco. Dizem que é assim mesmo quando se conhece Chypre Rouge: de início você não gosta, mas com o passar do tempo e o uso – em climas frios – ele acaba conquistando.

Na minha opinião, é o caso do famoso perfume doce que ninguém gosta de sentir em mulheres. Imagina em homens…


 

The following two tabs change content below.
𝘽𝙤𝙧𝙧𝙞𝙛𝙖𝙣𝙙𝙤 𝙘𝙤𝙣𝙝𝙚𝙘𝙞𝙢𝙚𝙣𝙩𝙤 𝙝𝙖́ 𝙖𝙣𝙤𝙨. Crítico de fragrâncias, jurado de premiações nacionais nas categorias de perfumaria fina e cosméticos masculinos, além de consultor particular de estilo em fragrâncias e criador do Perfumart, blog especializado no assunto.

One comment on “CHYPRE ROUGE, DE SERGE LUTENS

  1. Valéria

    Esse eu gosto, sou doida par ter um frasco, mas é difícil de encontrar!

Fique à vontade para deixar o seu comentário!