shadow

JAPANESE SPRING MAN, DE NADIA Z

Perfumart - resenha do perfume Nadia Z - Japanese Spring Man

A fragrância de Japanese Spring foi criada em 2015 em duas versões: uma voltada para os homens e outra para as mulheres. Ambas fazem parte da coleção Ecosystems – Mineral Planet e retratam a chegada da primavera, com seu toque floral e a brisa perfumada da estação.

Claramente, o conceito criativo tenta transmitir a vida moderna coexistindo com a natureza, através da agitação de homens e mulheres sempre conectados e cada vez mais preocupados com sua espiritualidade e o equilíbrio para mente e corpo.

A fragrância de Japanese Spring Man possui notas de jacinto, resina de Omumbungu da Namíbia, madeiras preciosas, musgos, raízes, hyraceum e óleos indígenas (Ximenia e Bacuri).

Para quem não sabe, a resina de Omumbungu é obtida da Commiphora krauselliana, também chamada de Árvore da Hiena. Possui um cheiro levemente animalesco e, ao mesmo tempo, limpo e quase mineral; O Hyraceum é o excremento petrificado da Procavia Capensis (também conhecida como Rock Hyrax), composto por fezes e urina e com odor forte, que combina o cheiro da civeta, do castóreo, do almíscar e até do tabaco; a Ximenia é conhecida como ameixa azeda africana e seu óleo tem consistência de mel e ajuda a prolongar a duração do perfume; a Bacuri é uma fruta popular da região norte e dos estados vizinhos à região Amazônica e produz uma manteiga de cheiro terroso e musgoso.

Na minha pele, Japanese Spring Man deixou a desejar. Com jeitão de floral-aquático musgoso, é o tipo de perfume que até surpreende pela diferença, mas que não me entregou o que eu esperava como resultado. Quando penso em primavera, principalmente no Japão, não consigo fugir do óbvio: a flor de cerejeira e toda a sua simbologia. Aliás, esse conceito já foi inúmeras vezes trabalhado, inclusive, por marcas que visam o mercado de massa. Mas aqui, infelizmente, faltou um acorde floral mais limpo, faltou alegria. Em contrapartida, o aspecto verde e resinoso sobra e, verdade seja dita, a qualidade dos óleos vegetais fica ainda mais realçada. Porém, esse cheiro também está presente em outras fragrâncias da casa, já que as matérias-primas são provenientes das mesmas fontes e isso é um fator que todo perfumista precisa estar atento ou corre o risco de criar inúmeras fragrâncias parecidas.  

Em se tratando de uma fragrância cujo nome fala da primavera, esta aqui perde para Celestial Violet Woman e minha esperança é ser surpreendido, positivamente, pela versão feminina, que também conta com a presença da gardênia em sua composição.

*imagem: reprodução / nadiaz.ch


 

The following two tabs change content below.
Publicitário, amante da comunicação, blogueiro, apaixonado por fragrâncias e cosméticos em geral. É colecionador de perfumes, crítico de fragrâncias nacionais e internacionais, consultor particular de estilo em perfumaria e dono de um grupo no Facebook voltado apenas para os homens. Criador e proprietário do Perfumart, portal especializado em perfumaria.

Fique à vontade para deixar o seu comentário!

Translate »