shadow

ARMANI CODE POUR HOMME, DE GIORGIO ARMANI 

Perfumart - resenha do perfume Armani CodeA marca de Giorgio Armani é sinônimo de sucesso no mundo inteiro. Mas eu ouso dizer que, em se tratando de fragrâncias masculinas, parece que sempre esteve faltando algo, pelo menos, até o ano de 2004. Neste ano, nascia uma das fragrâncias mais celebradas da última década, fazendo homens de todo o mundo correrem atrás de um frasco para as suas coleções: Armani Black Code.

Foi com este nome que essa fragrância oriental e especiarada surgiu no mercado, trazendo um misto de notas envolventes, sedutoras e elegantes concentradas em um frasco escuro e cilíndrico. Em 2005, o nome mudou para Armani Code, mas não há registro oficial do porquê da mudança. Já li relatos de problemas envolvendo o termo “Black” no mercado Europeu, mas nada confirmado.

A fragrância traz notas de bergamota e limão, na saída; anis estrelado, flor de oliveira e madeira de guáiaco, no coração; tabaco, couro e fava tonka, na base. Na minha pele, pelo menos, eu não percebo nem sinal das notas de saída. Desde o instante em que toca a pele, há um cheiro forte e adocicado. O anis estrelado desta fragrância não possui o típico aroma de anis que, por vezes, lembra o cheirinho da erva-doce. Aqui, o anis é mais pungente, algo mais próximo do alcaçuz. A flor de oliveira resulta em nuances cremosas, quase amanteigadas, enquanto a madeira de guáiaco teve seu aspecto incensado de sândalo bem trabalhado. Cerca de 40 minutos depois, percebe-se uma redução no aspecto adocicado e um aumento de nuances mais elegantes e fortes. O couro confere um tom mais seco, enquanto o tabaco deixa a fragrância mais quente e sensual. A fava tonka encerra a evolução com um leve aroma de amêndoas.

Muitos usuários sentem cheiro de baunilha e alguns ainda reclamam de um certo acorde medicinal. Vale a pena fazer o teste na pele. É o tipo de fragrância que projeta bem, ainda que o conceito não seja a exposição, mas a elegância. E possui ótima durabilidade. Particularmente, eu só tenho um problema com este perfume: não consigo usá-lo por dois dias seguidos, já que algo nele me cansa, tornando impossível a ideia de tê-lo como minha assinatura olfativa.

O frasco é escuro, mas não preto, como muitos pensam. Ele possui a cor que os norte-americanos chamam de “midnight blue”. Por fim, vale dizer que Armani Code ganhou o Fifi Award de fragrância do ano, em 2006, na categoria luxo masculino.


The following two tabs change content below.
𝘽𝙤𝙧𝙧𝙞𝙛𝙖𝙣𝙙𝙤 𝙘𝙤𝙣𝙝𝙚𝙘𝙞𝙢𝙚𝙣𝙩𝙤 𝙝𝙖́ 𝙖𝙣𝙤𝙨. Crítico de fragrâncias, jurado de premiações nacionais nas categorias de perfumaria fina e cosméticos masculinos, além de consultor particular de estilo em fragrâncias e criador do Perfumart, blog especializado no assunto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: