shadow

L’ÉPINE, DE MAHOGANY

Perfumart - resenha do perfume Mahogany - L'Épine

O perfume L’Épine (O Espinho, em Português) foi lançado em 2018, dando seguimento ao pilar de 2016, iniciado com a chegada de La Fleur. A identidade visual foi preservada e o frasco ganhou um novo duo de cores, desta vez entre vermelho e preto.

L’Épine traz, como conceito criativo, servir de contraponto à fragrância de La Fleur, mostrando que toda mulher sempre possui duas ou mais faces. Enquanto La Fleur trouxe uma abordagem mais diurna, L’Épine traz uma visão mais obscura. De acordo com a Mahogany, a fragrância chega com uma nota de bergamota, na cabeça, seguida por notas de jasmim, jacarandá, gardênia e ylang-ylang, no coração, sobre notas de almíscar, cedro, patchouli e sândalo, no fundo.

L’Épine representa, sem dúvidas, o lado mais introspectivo da mulher. Tem um apelo sedutor, misterioso e, o melhor de tudo, diferenciado. É classificado como oriental-amadeirado e na pele se revela um perfume facilmente compartilhável.

No meu corpo, L’Épine é um mistério, pois reage de forma tão extravagante, que me faz sentir nuances completamente distintas das que, supostamente, deveriam ser notadas. O teor amadeirado é tão forte, que da forma como foi trabalhado junto com o acorde cítrico e as flores, acaba revelando uma fragrância picante e, ao mesmo tempo, de camurça. É incrível, mas é verdade.

Assim que é borrifado, consigo sentir um jasmim leve, quase efêmero. Imediatamente, um cheiro de camurça domina e perdura, por quase todo o tempo, quando uma faceta mais ardida surge e me faz crer que esqueceram de listar a pimenta preta na base da pirâmide olfativa. Insisto um pouco mais sobre a área pulverizada e sinto uma nuance terrosa de patchouli. E a pergunta que não quer calar é: como assim?

L’Épine é quase místico. Parece vir carregado de especiarias e tem aquele lado de inovação que a gente não vê com facilidade, especialmente, na perfumaria nacional. Vai agradar em cheio às mulheres que sempre foram fãs de fragrâncias masculinas e amadeiradas, mas também vai agradar aos homens que tropeçarem nesta resenha ou em uma loja e forem impactados por este cheiro.

Infelizmente, é fraco e merecia exalar mais, como Make Me Fever Gold, por exemplo. Contudo, em termos de duração, não decepciona e perdura de forma satisfatória. Quem diria que um espinho seria uma grata surpresa de 2018?


 

The following two tabs change content below.
Publicitário, amante da comunicação, blogueiro, apaixonado por fragrâncias e cosméticos em geral. É colecionador de perfumes, crítico de fragrâncias nacionais e internacionais, consultor particular de estilo em perfumaria e dono de um grupo no Facebook voltado apenas para os homens. Criador e proprietário do Perfumart, portal especializado em perfumaria.

Fique à vontade para deixar o seu comentário!

Translate »