shadow

L’INTERDIT EAU DE PARFUM (2018), DE GIVENCHY

Perfumart - resenha do perfume Givenchy - L'Interdit Eau de Parfum

L’Interdit é o nome do primeiro perfume feminino criado pela marca Givenchy, em 1957. Como conta a história da grife, em 1953 Hubert conheceu aquela que viria a ser sua musa inspiradora, amiga e responsável por muito de seu sucesso internacional: a atriz Audrey Hepburn. E esse perfume foi criado para ela, por Francis Fabron.

No entanto, quem vivenciou a amizade entre eles, naquela época, conta que houve um momento no qual Hubert percebeu que a fama da atriz, aliada à qualidade do produto, teria grande apelo comercial. E quando ele comentou que iria fazer em larga escala para venda, ela teria dito: ”Je vous l’interdis!” (Eu te proíbo). Há quem diga que a resposta teria sido: “C’est interdit, parce que c’est mon parfum!” (É proibido, porque é o meu perfume!). De uma forma ou de outra, daí surgiu o nome L’Interdit (O proibido).

Antes deste relançamento, em setembro de 2018, a fragrância original chegou a ganhar outras releituras, como L’Interdit 2 (em 1993) e L’Interdit (em 2003). Quando esta versão de 2018 foi anunciada, os comunicados de imprensa a chamavam de L’Interdit Givenchy, o que não deu muito certo, porque o público não costuma gostar de nomes muito grandes, especialmente depois dos flankers que vieram em seguida, como as versões Eau de Toilette e Edition Couture (em 2019), Intense e Edition Couture (em 2020), além de Millésime e Rouge (em 2021).

Visualmente, o frasco foi pensado para prestar uma homenagem à versão de 1957 e o resultado alcançou o sucesso. A semelhança existe e os acabamentos reforçam a estética de luxo, trazendo um elástico preto no pescoço do frasco, representando uma fita de cetim.

Hora de falar da fragrância! L’Interdit Eau de Parfum é classificado como floral-amadeirado e é mais um daqueles casos de informações diversificadas sobre a sua composição. Há quem diga que tem pera e bergamota, na saída; outros afirmam que tem pera e cereja amarga. Na base da pirâmide olfativa, uns afirmam ter baunilha e até caramelo, enquanto outros listam a molécula ambroxan. Como de costume, eu vou respeitar as informações que estão na página oficial da marca: gengibre, na saída; flor de laranjeira, jasmim e tuberosa, no coração; patchouli e vetiver, na base.

Na pele, porém, L’Interdit Eau de Parfum tem mesmo uma saída frutada, que lembra o cheiro do pó de gelatina sabores uva e cereja. O ponto positivo, aqui, reside no fato de que mesmo tendo uma explosão artificial, ela não é ruim. Mas é a principal causa das avaliações negativas que já vi por aí.

Na minha pele, L’Interdit Eau de Parfum abre com essa explosão frutada, como mencionei acima, e tem um lado mais adstringente, muito comum das fragrâncias que carregam a nota de cassis. Todavia, a flor de laranjeira consegue trazer um equilíbrio e antecipa o buquê floral que está por vir. De imediato, é o tipo de fragrância que eu compraria em uma loja, só de provar na fita.

Passados alguns minutos, L’Interdit Eau de Parfum se revela um floral rico em jasmim e que possui uma cerca de tuberosas, que não se destacam muito na minha pele, mas ladeiam todo o jardim da casa. Particularmente, eu enxergo esse perfume como uma opção a ser avaliada para quem não gosta de fragrâncias com tuberosa muito evidente.

A evolução não é muito grande e, basicamente, L’Interdit Eau de Parfum não muda muito durante a secagem, exceto na fase inicial. Depois que o corpo se revela, tudo fica mais gracioso e com mais qualidade. O patchouli dá um ar mais profundo e amadeirado e a base parece conter madeira de caxemira (cashmeran), com aquele toque de seda leve e aconchegante.

L’Interdit Eau de Parfum não reinventa a roda, mas o resultado exala sensualidade e deixa os homens bastante interessados por descobrirem qual é o nome do perfume. Além disso, a performance é excelente, em todos os sentidos!

Quando começou a ganhar força no Brasil, a pandemia (Covid-19) atrapalhou muito os planos de expansão e vendas. Mas me recordo de ter sido questionado, durante uma transmissão ao vivo, sobre qual era o grande lançamento daquele ano. E aqui ratifico o que disse na época: L’Interdit Eau de Parfum é um dos melhores – se não o melhor – lançamentos femininos de 2018/2019, dentro do segmento Designer/Masstige.


The following two tabs change content below.
𝘽𝙤𝙧𝙧𝙞𝙛𝙖𝙣𝙙𝙤 𝙘𝙤𝙣𝙝𝙚𝙘𝙞𝙢𝙚𝙣𝙩𝙤 𝙝𝙖́ 𝙖𝙣𝙤𝙨. Crítico de fragrâncias, jurado de premiações nacionais nas categorias de perfumaria fina e cosméticos masculinos, além de consultor particular de estilo em fragrâncias e criador do Perfumart, blog especializado no assunto.

3 comments on “L’INTERDIT EAU DE PARFUM (2018), DE GIVENCHY

  1. Gisele Alessandra Caron Rodrigues

    Boa noite gostaria de sentir a fragrância dos 2 fiquei anciosa pra conhecer já ouvi falar muito quero comprar MAS antes se eu tiver o privilégio de sentir ficarei grata

    • Gisele, basta passar em uma loja e testar. Sephora, The Beauty Box, Renner…há várias opções para tal.

  2. Adriana Luciano de lima

    Fiquei curiosa pra saber o cheiro deste perfume!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: