shadow

ORIENTAL NOIR, DE AMBERFIG

Perfumart - resenha do perfume Amberfig - Oriental NoirOriental Noir revela um perfume quente, rico em especiarias, nuances alcoólicas e aspecto denso. Sua fragrância não deixa nada a desejar para uma criação de Serge Lutens, por exemplo. Na composição oficial, temos cedro da Virgínia e cipreste europeu, na saída; Cravo da Índia, baunilha, incenso e fava tonka, no coração; âmbar, benjoim e vetiver, na base.

Na minha pele, o cipreste serve para anunciar o que está por vir. O cravo é maravilhoso, sem qualquer aspecto medicinal de remédio utilizado por dentistas, comum em algumas fragrâncias que possuem tal elemento. Ele surge, quase que imediatamente, após a aplicação da fragrância sobre a pele. Quando a evolução começa para valer, o incenso é muito gostoso e a baunilha licorosa, como que tingindo o líquido e dando a cor final ao produto. Da base, eu sinto um âmbar forte e resinoso. O vetiver parece surgir em busca de fôlego, como se fosse um mergulhador subindo à superfície em busca de ar, em um mar de nuances ambaradas.

Vejo uma abordagem um pouco mais masculina nesta fragrância, que me faz pensar em um público composto, em sua maioria, por homens firmes e decididos em seus propósitos.

Tanto a projeção quanto a fixação são irrepreensíveis. Oriental Noir é uma criação brasileira, com bela apresentação e qualidade à altura das grandes marcas de prestígio internacional.


The following two tabs change content below.
𝘽𝙤𝙧𝙧𝙞𝙛𝙖𝙣𝙙𝙤 𝙘𝙤𝙣𝙝𝙚𝙘𝙞𝙢𝙚𝙣𝙩𝙤 𝙝𝙖́ 𝙖𝙣𝙤𝙨. Crítico de fragrâncias, jurado de premiações nacionais nas categorias de perfumaria fina e cosméticos masculinos, além de consultor particular de estilo em fragrâncias e criador do Perfumart, blog especializado no assunto.

One comment on “ORIENTAL NOIR, DE AMBERFIG

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: