shadow

Retrato do setor de Perfumaria e as tendências de mercado.

Perfumart - post Retrato do setor de Perfumaria SET 2021 - testada

Eis o retrato atual do setor de perfumaria: apesar do bom desempenho nos setores de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos no ano de 2020, o primeiro semestre de 2021 não trouxe bons resultados. De acordo com a ABIHPEC – Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos – o crescimento nas vendas foi de apenas 4%. Para dar uma ideia do cenário atual, a venda de desodorantes teve queda de 14%, quando comparada ao mesmo período de 2020.

Os poucos setores que conseguiram se manter estáveis no primeiro semestre deste ano foram os de Perfumaria (13,3% de crescimento em relação ao primeiro semestre de 2020) e o de Higiene Pessoal (9,4% de crescimento). Esses números são sobre as vendas “ex-factory”, que consideram o faturamento de fábrica, sem adição de impostos.

 

Tendências apontam mudanças de comportamento

Mesmo antes da pandemia mundial, o mercado de cosméticos já havia passado por grandes mudanças, quando pesquisas realizadas com os Millennials – que ditavam as regras de consumo – apontaram que investir em questões sociais, bem como ambientais, seria imprescindível. A preocupação com testes realizados em animais, processos sustentáveis, embalagens recicláveis e uso de matérias-primas mais conscientes se tornou obrigatória. Abaixo, você confere os novos pontos que estão em alta nesse mundo “renascido” e o rumo da indústria:

 

  • Novidades na hora de testar aquele lançamento:

Nesse cenário pós-pandemia, com o aumento de pessoas vacinadas, modelos de experimentação precisaram ser revistos. De acordo com relatório da Segmenta (Empresa latino-americana de inteligência de mercado), o universo das fragrâncias foi um dos que precisou se adaptar às mudanças, passando a garantir devoluções de produtos com prazos maiores e modelos de venda diferenciados, além de novas tecnologias de teste mais seguras para o cliente.

Um exemplo recente veio da Coty, gigante do setor, que anunciou em julho de 2021 a instalação de um dispositivo inteligente que oferece aos consumidores a possibilidade de testar diferentes fragrâncias sem contato com os frascos dos provadores. O processo irá ocorrer durante 12 meses, em lojas especializadas em produtos de beleza. A primeira fase de testes reais ocorre no mercado Europeu e, em seguida, os aparelhos partirão para outros mercados, começando na Ásia.

Como funciona? Ao contrário dos tradicionais provadores em spray, que são iguais ao produto que o consumidor leva para casa, o dispositivo libera uma única gota de fragrância, que pode ser aplicada sobre o braço do cliente ou em fita olfativa (blotter), reduzindo o desperdício e oferecendo uma alternativa mais segura.

Clique nas imagens para ampliar | Reprodução – Coty

 

  • Tecnologia:

Além do exemplo visto acima (que só foi possível graças ao uso da tecnologia), o uso de Inteligência Artificial na criação de fragrâncias também já é uma realidade desde 2018, quando o Boticário se uniu à Symrise e à IBM para criar as primeiras fragrâncias do mundo com ajuda de IA.

Agora, o setor começou a destacar algo que já sabíamos há muitos anos: as fragrâncias possuem a capacidade de mudar nosso estado de humor. Com isso, técnicas baseadas na Neurociência estão sendo aplicadas na concepção de novos produtos, como foi o caso de alguns perfumes da linha Humor, da Natura, que utilizaram Testes de Associação Implícita, permitindo uma análise mais sensível dos atributos testados e livre de vieses da percepção do consumidor, uma vez que se baseia em um tempo de resposta de centésimos de segundos.

Na prática, esses testes apontam para sensações que acalmam a mente, outras que deixam o indivíduo mais relaxado, bem como as que demonstram aumento de ansiedade e empolgação enquanto os participantes cheiram as amostras das fragrâncias.

É importante ressaltar que uma técnica não substitui, necessariamente, a outra. Muito pelo contrário, ela serve de complemento aos testes de amostragem mais convencionais.

 

  • Storytelling:

Esse é velho conhecido dos influenciadores e jornalistas mais acostumados e assíduos aos eventos de lançamento de novos perfumes, bem como de feiras e treinamentos na área. O storytelling é, literalmente, o termo utilizado para simbolizar a arte de contar uma história, um conceito ou uma ideia, através de uma narrativa envolvente. Entretanto, também já vem se mostrando uma realidade utilizada pelas grandes marcas, através de suas redes sociais, como uma forma mais direta de se comunicar com seu público.

Sai de cena o treinador interno, com suas apresentações em PPT, e entra o(a) perfumista responsável pela criação da fragrância. Quando ele/ela explica sua inspiração, o motivo da escolha das principais matérias-primas, as nuances que foram trabalhadas, etc. o consumidor final se sente mais próximo e mais envolvido com a história, algo que não existe no processo entre Comunicação > Press Release > Mídia > Cliente.

 

Gostou? Compartilhe!

 

Imagens: Reprodução – Pexels (free) e Coty / Textos: Perfumart.


 

The following two tabs change content below.
𝘽𝙤𝙧𝙧𝙞𝙛𝙖𝙣𝙙𝙤 𝙘𝙤𝙣𝙝𝙚𝙘𝙞𝙢𝙚𝙣𝙩𝙤 𝙝𝙖́ 𝙖𝙣𝙤𝙨. Crítico de fragrâncias, jurado de premiações nacionais nas categorias de perfumaria fina e cosméticos masculinos, além de consultor particular de estilo em fragrâncias e criador do Perfumart, blog especializado no assunto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: