shadow

BURVUVU, DE JANUARY SCENT PROJECT

Perfumart - resenha do perfume January Scent - Burvuvu

O perfume Burvuvu foi lançado em setembro de 2018, exatamente um ano após o lançamento de Vaporocindro. Com sua cor rubro-ambarina, traz a imagem de um homem carregando peças de madeira sobre seus ombros, das quais brotam alguns cogumelos.

Burvuvu é uma fragrância classificada por seu criador, John Biebel, como amadeirada e especiada-âmbar e possui notas de gerânio, cedro branco do Canadá, cedro vermelho, cedro do Texas, rosa, patchouli, gengibre, âmbar, almíscar de Tonkin, cogumelo, hena, manjericão, mel e castóreo.

Seu nome, bem como dos demais perfumes da casa, foi escolhido através da junção de palavras ou idiomas estranhos e/ou obsoletos, uma vez que John não se sente confortável em usar palavras do Francês. Vaporocindro, por exemplo, nasceu da junção de duas palavras do Esperanto: vaporo (vapor) e cindro (cinzas).

Burvuvu é uma verdadeira homenagem à madeira do cedro e suas variações, há tantos anos exploradas pela perfumaria. Ao combinar três tipos de cedro, temos um leque de nuances que vão desde o cheiro de madeiras leves ao cheiro de lápis, passando pelo canforado, pelo doce e pelo mais seco. Mas há uma reviravolta no conceito e no resultado, quando a gente percebe que Burvuvu está longe de ser uma fragrância tipicamente amadeirada.

Na pele, Burvuvu é sensual e cheio de toques florais, obtidos através do gerânio e, principalmente, da rosa. E é interessante vestir uma fragrância que não traz o absoluto de rosas (ou mais de uma variação deste ingrediente) como tema central, para notarmos a alta qualidade do que está inserido na composição. Quando uso, sinto um perfume de rosas – nada feminino – com abertura vibrante de gengibre e uma bela camada de mel sobre toras de cedro molhadas por um almíscar animálico e sensual.

Tenho certeza que já registrei isso de alguma forma, mas vale repetir: John Biebel é um dos maiores perfumistas independentes dos últimos anos. Sua veia artística se revela de forma olfativa e suas criações surpreendem pela diferença comercial e, sobretudo, pela qualidade. Normalmente, suas fragrâncias são muito ricas em evolução, rastro e durabilidade.

Para mim, Burvuvu não é um perfume que fala apenas do cedro. Ele retrata o lenhador que derruba árvores, mas que planta rosas em seu canteiro de flores.


 

The following two tabs change content below.
𝘽𝙤𝙧𝙧𝙞𝙛𝙖𝙣𝙙𝙤 𝙘𝙤𝙣𝙝𝙚𝙘𝙞𝙢𝙚𝙣𝙩𝙤 𝙝𝙖́ 𝙖𝙣𝙤𝙨. Crítico de fragrâncias, jurado de premiações nacionais nas categorias de perfumaria fina e cosméticos masculinos, além de consultor particular de estilo em fragrâncias e criador do Perfumart, blog especializado no assunto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: