shadow

FATOR TOP, DE CHARME ESSÊNCIA

Perfumart - resenha do perfume Charme Essência - Fator TOPLançado em 2013, Fator TOP foi criado por Fabiano JS, perfumista e fundador da marca, e é categorizado como cítrico-amadeirado. A inspiração foram os locais de clima tropical ao redor do globo.

Em sua composição oficial constam notas de bergamota, coentro, Artemísia, laranja-doce e verbena, na saída. Em seguida, no corpo da fragrância, notas orientais, especiarias e gerânio. Por fim, a base é composta por patchouli, mel e baunilha.

Fator TOP é aquele tipo de perfume atemporal. Na pele, funciona mais como um fougère do que como um cítrico-amadeirado. Aliás, se eu não tivesse acesso às notas e me dissessem que a composição possui notas de musgo, eu acreditaria. A abertura é rica em verbena, mas não é muito cítrica, nem mesmo com a ajuda da bergamota. As especiarias abafam qualquer teor exagerado dos citrinos e o mel parece estar presente em todas as etapas da composição.

Enquanto evolui na pele, é possível sentir a semelhança com vários outros perfumes famosos, como Drakkar Noir, Giorgio for Men, Gentleman (de Givenchy) ou, ainda, com Moustache (de Rochas). A evolução de Fator TOP tem muitas nuances desses clássicos, que nunca saem de moda e representam homens mais sóbrios. Por esta razão, embora o padrão da Alta Perfumaria seja contra a comercialização por gêneros, este perfume é muito mais indicado para homens do que mulheres.

Com relação aos quesitos básicos da avaliação, Fator TOP possui ótima projeção, exalando muito bem por cerca de três horas e fixando por cerca de oito horas. Cabe lembrar que possui concentração Eau de Parfum.

Em termos de apresentação, particularmente, eu não gosto do frasco. Aliás, vendo algumas fotos na internet, a coleção inicial (quando a empresa foi fundada) me parecia mais interessante do que esta, que traz essa aplicação de cordas coloridas.

Sem dúvidas, há um trabalho artesanal gigante, mas acho que falta coesão, tanto nos frascos, como nos acabamentos: as tampas são diferentes, as fontes utilizadas não apresentam bem o nome dos perfumes, etc. Tudo isso, na minha opinião, acaba dando um aspecto “barato” aos produtos, que poderiam estar se beneficiando de frascos lisos e de acabamento simples, no estilo de grandes casas do ramo, como Serge Lutens, por exemplo. O que salva são as caixas, feitas em madeira e forradas com tecido, conferindo um pouco mais de luxo ao produto final. De toda forma, não é nada que não possa ser estudado e melhorado!

*imagem: reprodução


 

The following two tabs change content below.
𝘽𝙤𝙧𝙧𝙞𝙛𝙖𝙣𝙙𝙤 𝙘𝙤𝙣𝙝𝙚𝙘𝙞𝙢𝙚𝙣𝙩𝙤 𝙝𝙖́ 𝙖𝙣𝙤𝙨. Crítico de fragrâncias, jurado de premiações nacionais nas categorias de perfumaria fina e cosméticos masculinos, além de consultor particular de estilo em fragrâncias e criador do Perfumart, blog especializado no assunto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: