HERMÈS

Perfumart - logo HERMES

A Hermès foi fundada em 1837 por Thierry Hermès, filho de pai francês e mãe alemã. É uma casa de artigos de luxo francesa, originalmente focada em acessórios para equitação, mais precisamente, arreios para cavalos. Também fabricava baús para carruagens, selas, rédeas, estribos, cintos com porta-moeda, botas e luvas, todas fabricadas com couro de qualidade.

A oficina era localizada em uma região de Paris conhecida como Grands Boulevards. Inicialmente, foi chamada de Caléche, nome que ficou conhecido, anos mais tarde, como um dos grandes perfumes da grife.

Em 1867, suas selas receberam reconhecimento na Exposição Universal de Paris e passaram a ser vendidas para a alta sociedade francesa. Com a morte do fundador, em 1878, foi instalada uma sofisticada loja no número 24 da rua Faubourg Saint-Honoré (que também virou nome de um perfume), em 1880, época em que o filho do fundador assumiu os negócios e passou a vender também outros objetos feitos de couro, como bolsas, pochetes e casacos. Nascia um império!

Em 1892, a empresa lançou um modelo de bolsa maior, com duas tiras rígidas na parte superior, que virou sinônimo da marca.

Em 1902, Charles-Émile se afasta e deixa seus filhos no comando da empresa. É quando a grife passa a se chamar Hermès Freres. Em 1914, a marca atingiu seu ápice comercial, pois os irmãos Adolphe e Émile-Maurice perceberam, após uma viagem aos EUA, que as pessoas estavam viajando mais e vislumbraram uma nova fatia de mercado, oferecendo aos clientes uma linha de malas com design exclusivo.

Em 1923, foi a vez das bolsas com zíper e foi, também nesta época, que Émile-Maurice começou a desenhar roupas feitas de couro de veado. Em 1929, ocorria o lançamento da primeira coleção feminina da casa Hermès.

Os negócios não paravam de crescer e embora o principal negócio da empresa fosse a produção artesanal de peças de couro, a grife conquistou o público com dois outros produtos: lenços de seda com motivos equestres e a famosa bolsa de couro que recebeu o nome de Kelly. Ela foi criada em 1935 e tinha um formato em trapézio, alças curtas e fecho em metal. Seu nome, adotado oficialmente em 1956, foi uma homenagem da marca à princesa de Mônaco – Grace Kelly – que sempre carregava suas bolsas Hermès em aparições públicas, estampando capas de revistas.

Em 1940, outra mudança extremamente significativa ocorreu, quando a Segunda Guerra Mundial fez esgotar o estoque das embalagens de cor bege, até então utilizada pela grife. Para uma nova produção, a única cor disponível naquele momento era a laranja, marcando o início de um símbolo de reconhecimento mundial.

Em 1951, quando Émile-Maurice morreu, seu genro Robert Dumas Hermès assumiu o comando dos negócios. Foi ele quem trouxe novos itens de produção, como gravatas, malas de viagens e os primeiros perfumes, graças à parceria com Jean Rene Guerrand, perfumista e marido de Aline Hermès, bisneta do fundador. Nessa época, a Hermès começou a usar um logotipo com base em um desenho do pintor francês Alfred de Dreux e a primeira fragrância – Eau d’Hermès – foi lançada e composta por Edmond Roudnitska.

Em 1961, o perfumista Guy Robert compôs Calèche, uma obra-prima que transformou a Hermès em um dos principais protagonistas da perfumaria moderna. Nove anos depois, em 1970, foi a vez de Équipage, o primeiro perfume da grife feito para homens.

Em 1981, o icônico modelo de bolsa Birkin foi lançado em homenagem à atriz britânica Jane Birkin e até hoje é famosa pela lista de espera de clientes ansiosas.

Em 2003, o renomado designer Jean-Paul Gaultier foi convidado a assumir o posto de estilista da grife. Ele ficou sete anos no comando criativo da empresa, quando foi substituído por Christophe Lemaire, em 2011.

Em 2004, Jean-Claude Ellena (criador do incrível First para Van Cleef & Arpels, em 1976) assumia a divisão de perfumes da Hermès como perfumista exclusivo, trazendo uma abordagem sofisticada e reconhecida como única.

Em de setembro de 2009, a Hermès inaugurou sua primeira loja em um shopping na cidade de São Paulo.

Em meados de 2016, Jean-Claude passou a batuta para Christine Nagel, que passou a responder como perfumista residente da casa.

Atualmente, a Hermès é facilmente confundida como uma marca de nicho, o que teoricamente está errado, já que a empresa nasceu no ramo de acessórios, passando pelo mercado da moda para, então, se aventurar em outras áreas.

A grife já possui mais de 100 fragrâncias produzidas, sendo que muitas delas foram feitas em colaboração com perfumistas como Maurice Maurin, Jean-Louis Sieuzac, Jean Guichard, Guy Robert, Christine Nagel, Olivia Giacobetti, Maurice Roucel, Fabrice Pellegrin, entre outros.

Aviso legal: Marcas e logotipos pertencem às empresas e fabricantes e são usados aqui, exclusivamente, para fins de ilustração aos leitores.

 
ROCABAR
default-divider
UN JARDIN APRÈS LA MOUSSON
default-divider
UN JARDIN SUR LE NIL
default-divider
VOYAGE D’HERMÈS

 

FACEBOOK >>

Twitter >>

Instagram >>