shadow

LUMIÈRE ENCHANTÉE, DE IN THE BOX

Perfumart - resenha do perfume ITB - Lumière Enchantée

O perfume Lumière Enchantée foi lançado em outubro de 2021, juntamente com Altum Magnis. Eles abrem a temporada de seis lançamentos da linha Match of Senses (Combinação de Sentidos, em Língua Portuguesa), que foi lançada em 2019 e teve, como meta, atingir uma coleção de 10 perfumes autorais.

Lumière Enchantée é classificado, pelo fabricante, como um perfume floral-frutal voltado para o público feminino. Sua fragrância traz notas de mirtilo, bergamota e toranja, no topo; Notas de ylang-ylang, rosa, jasmim, magnólia e fava tonka, no corpo; Notas de baunilha, cedro, almíscar, patchouli e âmbar, na base.

Para Lumière Enchantée, a cor escolhida foi rosa bebê, que transmite romantismo e inocência. Ao tocar a pele, notas suculentas explodem revelando um plano de fundo mais ácido. E isso ocorre porque a toranja também possui facetas mais ácidas e amargas, capazes de fazer lembrar do cheiro da groselha preta. Só que poucos fazem essa conexão, porque pensam em um fruto de teor semelhante ao da laranja, o que não é uma regra.

E ainda que esteja listada na parte central da composição, a nota de ylang-ylang não se deixa dominar muito facilmente e, por isso, não estranhe se você sentir um aroma mais leitoso logo de cara. Então, vem o buquê floral – rico em jasmim e magnólia – e traz um acorde repleto de facetas mais verdes e exuberantes, ainda que esse combo te faça imaginar um acorde floral branco e narcótico.

É aqui, no corpo da fragrância, que esta “Luz Encantada” ganha força e revela sua personalidade. À essa altura, já abandonei a classificação oficial e entendi que Lumière Enchantée se comporta como um chipre-floral de nuances almiscaradas, pelo menos na minha pele.

Para conferir um pouco mais de romantismo, a secagem revela um almíscar sensual e ainda traz uma baunilha leve e nada enjoativa que, combinada com o âmbar, cria o acorde-base de muitas fragrâncias da família oriental (termo que está em desuso na indústria).

Na fita olfativa, Lumière Enchantée me traz nuances que lembram o cheiro de pera, o que não acontece quando aplicada sobre a pele. Portanto, fiquem atentas na hora de testar! Outra observação, um pouco mais crítica, está no fato de que esta fragrância não me soa como 100% autoral, assim como aconteceu com outro perfume feminino da mesma linha: Euphoria Sensuale. E me preocupa o fato de imaginar o questionamento do público acerca da liberdade autoral.

Todavia, por mais que eu entenda que o leque de opções seja mais competitivo dentro do mercado feminino, porque são muitas marcas e novos produtos sendo lançados diariamente, quando penso em uma fragrância autoral, automaticamente penso em algo inusitado, em combinações e acordes nunca (ou pouco) explorados e, mais importante que tudo, na dificuldade de traçar comparativos. Para esse fim, a empresa já possui a sua linha de perfumes inspirados.

Lumière Enchantée é menos inocente do que eu esperava, mas é a fragrância feminina mais versátil da linha, até o presente momento. Agrada com facilidade, possui ótima performance e não restringe muito em termos de faixa etária.

Que venha Sucré Juteux, prometida para novembro de 2021!


 

The following two tabs change content below.
𝘽𝙤𝙧𝙧𝙞𝙛𝙖𝙣𝙙𝙤 𝙘𝙤𝙣𝙝𝙚𝙘𝙞𝙢𝙚𝙣𝙩𝙤 𝙝𝙖́ 𝙖𝙣𝙤𝙨. Crítico de fragrâncias, jurado de premiações nacionais nas categorias de perfumaria fina e cosméticos masculinos, além de consultor particular de estilo em fragrâncias e criador do Perfumart, blog especializado no assunto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: