shadow

SAN JUNIPERO, DE L’ENVIE PARFUMS

Perfumart - resenha San Junipero

San Junipero é o perfume de número três da coleção de fragrâncias corporais da L’Envie Parfums. Sua fragrância é definida como um buquê floral de notas frias e picantes.

O conceito criativo vem de um misto de inspirações. A perfumista Fanny Grau havia apresentado um ensaio com notas evidentes de zimbro (as bagas do Junípero) e, na mesma época, o fundador Fábio Ottaiano havia assistido ao episódio da série de TV Norte-americana “Black Mirror”, que se chamava San Junipero. Daí, seu nome.

A composição lista notas de saída de bergamota, gengibre, framboesa, lentisco e acorde verde, que abrem caminho para um corpo floral com notas de néroli, íris, jasmim Sambac, gardênia do Tahiti e flor do cravo, sobre uma base de heliotrópio, almíscares, patchouli e cedro.

E o que vem a ser o lentisco? O lentisco, também conhecido por mástique, é a goma obtida da árvore do gênero Pistacia Lentiscus (da família do pistache). É muito utilizada na fabricação de fármacos, cosméticos e até materiais para construção, como vernizes. Na perfumaria, está presente em criações mais refinadas como Habanita (Molinard), Solo Atlas (Loewe), Overture (Amouage), Ere (PK Perfumes), entre outras. Seu cheiro é balsâmico e fresco.

Quando toca a pele, a fragrância de San Junipero é floral e delicada, com muita evidência para a nota de íris. Ao mesmo tempo, um frescor medicinal começa a se fazer presente e um lado especiado e gelado também surge. É uma picância quase alcóolica, que envolve o corpo floral (como se fosse uma redoma), mantendo a beleza das flores, porém aprisionando qualquer aspecto exagerado ou excessivamente feminino.

San Junipero exala gardênias, íris e heliotrópio e não muda muito durante a evolução. Dentre as três fragrâncias que pude avaliar até o momento, esta é a que possui a alma mais feminina, embora seja totalmente compartilhável. Também é a mais diferenciada no quesito criatividade, ainda que muitos possam associá-la com alguma variante da Linha Infusion, da grife Prada.

Visualmente, San Junipero repete o padrão da grife, com frascos cilíndricos minimalistas, que trazem a logo de um lado e o nome do perfume do outro. Aqui, o marrom presente nos números #001 e #002 dá lugar à cor verde.

Antes de encerrar, vale comentar sobre o amadeirado leve que surge bem no final da secagem, mas não chega a alterar o resultado. E com relação à performance, San Junipero é mais leve e não exala tanto, pelo menos na minha pele. A durabilidade é boa, mas é provável que você se pegue cheirando os pulsos de vez em quando, tentando encontrar vestígios da fragrância.


The following two tabs change content below.
𝘽𝙤𝙧𝙧𝙞𝙛𝙖𝙣𝙙𝙤 𝙘𝙤𝙣𝙝𝙚𝙘𝙞𝙢𝙚𝙣𝙩𝙤 𝙝𝙖́ 𝙖𝙣𝙤𝙨. Crítico de fragrâncias, jurado de premiações nacionais nas categorias de perfumaria fina e cosméticos masculinos, além de consultor particular de estilo em fragrâncias e criador do Perfumart, blog especializado no assunto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: