shadow

BLACK HASHISH, DE ARTE OLFATTO NICHE LAB

Perfumart - resenha do perfume Arte Olfatto - Black Hashish

O perfume Black Hashish foi lançado em 2018 e seu conceito fala sobre o forte cheiro do incenso, sempre quente e envolvente.

Assim como eu conto na resenha da Oud Khasian, Black Hashish também me parece ser um relançamento da fragrância Jardin Afghan, de 2013, parte da primeira coleção descontinuada da marca. A composição atual lista algumas alterações consideráveis na pirâmide olfativa.

E por falar na pirâmide, Black Hashish traz notas de ládano, incenso e acorde verde, no topo. Em seguida, violeta, ambergris e tabaco aparecem no corpo da fragrância, sobre notas de almíscar, café, cedro, sândalo e, novamente, ládano.

Acho importante explicar que a interpretação do Hashish, que dá o nome à fragrância, não foi tão literal desta vez, quanto ocorreu com Primero Marocaine. Para quem não sabe, o haxixe (ou hash) é uma resina extraída da planta da maconha e existem vários tipos. O preto é conhecido como Paraguaio e, de acordo com especialistas no assunto, possui qualidade inferior.

Na pele, Black Hashish é muito mais sobre tabaco do que qualquer outra coisa. Há uma forte abordagem ao cheiro sentido em tabacarias, quando o alcatrão se espalha pela fumaça densa e revela nuances alcóolicas de whiskey. Em mim, a saída entrega um misto de nuances boozy, fumarentas e medicinais.

Passados alguns minutos, o perfil ambarado (que até pouco tempo atrás, a gente chamava de oriental) passa a dominar e a fragrância aquece e começa a perder seu efeito coriáceo. Neste estágio, parece que Black Hashish ficou fraca e deixou de exalar. Mas a verdade é que a saída tem um gancho muito forte e isso faz parecer que o resto é fraco, sabe?

Depois disso, não acho que a fragrância evolui muito, tampouco, que a presença do café seja arrebatadora. Mas o sândalo se mostra bastante evidente e a base ganha uma cremosidade extra e um efeito de incenso indiano, daqueles persistentes.

Confesso que minha expectativa era outra, pois o líquido é bastante escuro e eu estava esperando por uma fragrância incômoda, de aspecto rústico e nuances quase fecais, tipo estábulo. Mas Black Hashish é mais inofensiva e agradável do que o seu impacto visual transmite, além de ser unissex e diferenciada. Gostei muito de conhecer.


 

The following two tabs change content below.
𝘽𝙤𝙧𝙧𝙞𝙛𝙖𝙣𝙙𝙤 𝙘𝙤𝙣𝙝𝙚𝙘𝙞𝙢𝙚𝙣𝙩𝙤 𝙝𝙖́ 𝙖𝙣𝙤𝙨. Crítico de fragrâncias, jurado de premiações nacionais nas categorias de perfumaria fina e cosméticos masculinos, além de consultor particular de estilo em fragrâncias e criador do Perfumart, blog especializado no assunto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *