shadow

GENTLEMAN RÉSERVE PRIVÉE, DE GIVENCHY

Perfumart - resenha do perfume Givenchy - Gentleman Réserve PrivéeO perfume Gentleman Réserve Privée foi lançado em 2022, dando seguimento ao pilar Gentleman (não confundir com Gentlemen Only), que foi revivido em 2017 com uma nova Eau de Toilette. Com o sucesso de vendas, vieram os flankers: Gentleman Eau de Parfum (2018), Gentleman Cologne (2019), Gentleman Boisée (2020) e Gentleman Eau de Toilette Intense (2021).

A fragrância de Gentleman Réserve Privée também foi cocriada por Nathalie Lorson e Olivier Cresp e sua fragrância é classificada como floral-âmbar-amadeirada. O conceito buscou unir a elegância masculina do uísque com a delicadeza das flores e a densidade profunda das madeiras, combinando o universo e a expertise de dois mestres perfumistas com um mestre destilador de uísque.

A pirâmide olfativa lista notas de bergamota italiana e absoluto de whisky escocês, no topo, revelando notas de cevada aromática e abrindo caminho para um corpo viril, com notas de castanhas, concretos de íris da Itália e da China, além de benjoim do Sião. Por fim, a base carrega notas de cedro da Virgínia, vetiver do Haiti e patchouli da Indonésia.

Assim que borrifada sobre a pele, a fragrância explode com notas achocolatadas e outras pulverulentas, revelando a forte presença da íris na composição, ingrediente que faz ligação com as versões anteriores e conta a história reinventada no pilar Gentleman. Dentre os flankers já lançados, este é o que mais enaltece a íris logo na saída.

E ainda que as nuances de chocolate – oriundas do acorde de uísque – sejam facilmente notadas na abertura, elas não devem ser comparadas às de cacau, que estão presentes na versão Boisée. Aqui, elas trazem um aspecto mais seco, que faz alusão aos barris de carvalho e nos transportam para destilarias antigas.

Com o tempo, o fundo se torna cremoso e o aspecto ambarado emerge. O patchouli também é o mesmo de antes, mas há um segredo na fragrância de Gentleman Réserve Privée: as castanhas. Não há como não perceber o cheiro de castanhas cozidas, com aquele aroma peculiar que surge quando a gente remove as cascas rígidas. Nunca preparei ou comi uma compota de castanhas, mas essa fase da evolução me faz lembrar muito do aroma de uma geleia francesa, da marca St. Dalfour.

Em termos de comparação, enquanto a versão Eau de Toilette Intense revela um duo bastante aromático de cardamomo e manjericão e a versão Boisée apresenta um mix de madeiras picantes, esta versão Réserve Privée carrega um estilo mais cremoso e quente, mas que não chega a ser alcoólico (nem merece ser citado como tal).

Outro ponto positivo, quando se trata de flankers, é que todas essas versões trazem a íris, navegando pelas ondas da evolução, e terminam de forma muito similar após algumas horas. Claramente, há um respeito ao DNA do pilar, como há muito já não se via na indústria.

Na minha pele, Gentleman Réserve Privée apresentou performance parecida com as demais, revelando uma projeção mediana, porém com boa durabilidade. Ainda não consegui decidir se me ganhou mais do que a versão Boisée (da qual gosto muito), mas uma coisa é certa: veio para provar que ainda é possível encontrarmos fragrâncias muito boas no segmento de grifes Designers, especialmente em um momento de olhares afoitos pelas marcas de nicho que pipocam em todo o mundo.

Gentleman é, sem dúvidas, uma coleção à altura dos maiores colecionadores de fragrâncias.


The following two tabs change content below.
𝘽𝙤𝙧𝙧𝙞𝙛𝙖𝙣𝙙𝙤 𝙘𝙤𝙣𝙝𝙚𝙘𝙞𝙢𝙚𝙣𝙩𝙤 𝙝𝙖́ 𝙖𝙣𝙤𝙨. Crítico de fragrâncias, jurado de premiações nacionais nas categorias de perfumaria fina e cosméticos masculinos, além de consultor particular de estilo em fragrâncias e criador do Perfumart, blog especializado no assunto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *